Na maioria das vezes, não é fácil fazer uma transição de carreira. Afinal, são anos construindo o próprio caminho profissional até descobrir que ele não está mais te trazendo a satisfação que era esperada. Existem vários motivos para que isso ocorra, um deles é que nós estamos em constante processo de transformação, e o que era bom para nós a 10 ou 20 anos atrás pode não ser agora.

Ainda que seja difícil, mudar de emprego pode valer a pena, principalmente por conta do fato de que investir em uma profissão que proporcione um contentamento maior pode render mais frutos. Para que você possa tomar essa atitude com uma assertividade maior, separamos 9 erros que você não pode cometer. Confira:

Fazer a transição de carreira sem trabalhar a autoconfiança

Um dos erros que não podem ser cometidos ao fazer uma transição de carreira é se esquecer de trabalhar a autoconfiança. Isso porque você estará saindo da sua rotina, da sua possível zona de conforto e de tarefas que já está acostumado a fazer.

Desse modo, é importante estar preparado para enfrentar desafios, além de saber que não será possível acertar sempre. Por mais que o antigo trabalho possa te ajudar nessa nova experiência, partir para um novo caminho sempre é desafiador. Portanto, trabalhe sua autoconfiança e leve sempre em consideração que críticas e erros podem ser utilizados para uma evolução pessoal.

Pular a etapa de planejamento

Como a transição de carreira é um grande passo, dá-lo sem fazer um planejamento é um equívoco que você realmente não pode cometer. Tenha em mente que pode ser necessário um período de seis meses a um ano e que vai depender muito do cargo, da posição ou do tipo de negócio que você está buscando.

Ainda que seja um processo relativamente lento para algumas pessoas, a transição de carreira pode ser o que você precisa para começar a ter uma qualidade de vida melhor. Além disso, independentemente de ter 20 ou 40 anos, é importante pensar sobre o futuro que você deseja, adquirindo um nível maior de autoconhecimento e buscando formas de construir um futuro que você realmente queira viver.

Não se preparar o suficiente

Investir em outra área requer que você aprenda coisas novas, seja por meio de workshops, palestras, cursos ou mesmo leituras. Por vezes, é necessário até mesmo voltar à faculdade ou fazer uma especialização diferente, o que costuma ser um fator muito utilizado para justificar a desistência.

Ocorre que se arriscar faz parte de ir atrás de seus objetivos. Desse modo, começar novamente deve ser apenas considerado como uma forma de alcançar as suas metas, e não como algo negativo. Deixar para depois ou pular essa etapa pode acabar postergando ou até desperdiçando um futuro muito promissor.

Deixar de pesquisar outras opções além das mais conhecidas

Existe uma grande diversidade de setores dentro de cada área, sendo que alguns deles por vezes não são muito conhecidos. Com isso, deixar de pesquisar e optar por um campo que você já conhece pode ser um mau negócio. Antes de realmente se decidir, verifique quais são as suas opções, converse com pessoas da área e entenda bem o mercado em que vai entrar para que a sua decisão possa ser a melhor possível.

Ficar apenas na teoria

Especializar-se é importante? Sim. Entretanto, algumas pessoas acabam ficando inseguras e investindo apenas na teoria, demorando muito para partir para a prática. Evite que isso ocorra, lembre-se de que o aprendizado também é construído com a “mão na massa” e procure entrar no mercado de trabalho ainda que não seja considerado um expert da área.

Investir em uma área apenas porque ela parece promissora

Existem diversas formas de analisar se uma área é promissora, e isso é uma atitude importante. Porém, escolher realizar a transição de carreira com base apenas no sucesso de algumas pessoas pode ser um ato equivocado. É preciso saber qual o estilo de vida que você quer levar, saber o que realmente quer fazer e, apenas depois de uma análise, começar a investir em uma nova carreira.

Optar por uma profissão apenas pelo salário mais alto

Com certeza o salário é um dos fatores que costumam ser muito observados quando se trata de encontrar uma nova colocação profissional. Ocorre que, se apenas esse ponto for levado em consideração no momento da escolha, você pode acabar enfrentando algumas dificuldades com o decorrer do tempo.

Conforme indicam pesquisas, a insatisfação dentro do ambiente de trabalho pode levar à problemas de saúde. Você pode ocupar uma vaga que não é compatível com o seu perfil e, mesmo que a remuneração seja alta, com o tempo as chances de ocorrer um esgotamento mental são muito altas.

Não criar uma rede de contatos

Fazer tudo sozinho, além de mais difícil, pode acabar desperdiçando oportunidades que poderiam surgir caso você tivesse tentado buscar ajuda. Montar uma rede de contatos pode te abrir inúmeras portas e, para conseguir realizar essa tarefa, é preciso que você converse com amigos, familiares e até colegas de algum curso que porventura você tenha feito.

A maior parte das melhores vagas são preenchidas por meio de indicações, e esse caminho pode ser mais eficiente do que o envio de currículos de forma aleatória. Além disso, você também pode construir uma rede de relacionamento por meio de sites — como LinkedIn e Facebook —, em perfis, grupos e páginas relacionadas à área escolhida.

Aceitar a primeira oportunidade que surgir

Enquanto uns adiam muito a recolocação profissional, há aqueles que acabam se precipitando e aceitando a primeira oportunidade que aparece. Seja por conta de conflitos em seu antigo trabalho ou por desmotivação, essa pressa não deve atrapalhar seus novos planos.

Saia do seu emprego somente quando estiver seguro de que é uma boa ideia e de que aquela era a vaga que você estava procurando. Por mais que a situação esteja complicada, ao tomar uma atitude apenas por impulsividade, você tem grandes chances de passar pela mesma situação em um curto período de tempo.

Se você está pensando em mudar sua vida profissional, mas têm dúvidas ou receio, saiba aqui como posso lhe ajudar!

Shares
Share This