O mundo do empreendedorismo de negócios é repleto de mitos. Muitos têm como referência apenas os grandes empresários, como Mark Zuckerberg, Bill Gates, Steve Jobs.

No entanto, o que várias pessoas se esquecem é de que o empreendedorismo é também feito pelos donos de pequenas lojas, organizações sociais, por pessoas de qualquer idade e formação acadêmica. Mas nós estamos aqui para desconstruir essas ideias! Queremos ajudá-lo a entender como ser empreendedor.

O empreendedorismo não é um dom

Um dos mitos mais fortes do mundo do empreendedorismo é de que as pessoas nascem com talento para empreender. Na verdade, são certos tipos de ações as responsáveis por tornar uma pessoa empreendedora e não características genéticas. E isso já foi comprovado por Saras D. Sarasvathy, autora do livro “Effectuation – Elementos da Expertise Empreendedora, 2008”, ao demonstrar que o empreendedorismo é uma escolha e não uma tendência natural ou herdada.

De acordo com a pesquisa “Anatomia de um Empreendedor”, da Fundação Kaufmann, 52% dos empreendedores bem-sucedidos são os primeiros da família a iniciar um negócio.  Ou seja, com disposição, qualquer pessoa pode agir de maneira empreendedora. Atitudes empreendedoras são o resultado de escolhas individuais, não uma tendência natural.

Sentido de propriedade

Segundo Yoshio Kawakami, presidente da Volvo, algumas pessoas têm um desejo inexplicável de colocar a própria marca em tudo o que fazem. Deixar sua marca e identificar aquilo que foi feito é um motivador que vai além de apenas desenvolver um produto ou serviço bem feito.

Podemos relacionar o ”sentido de propriedade” com a vontade de deixar um legado. Um legado é algo que está além de você e que permanece como um benefício para as pessoas mesmo após a sua existência. E mesmo que você imagine que isso é para poucos, não é. Qualquer pessoa pode criar algo, um legado, desde que esteja engajada na criação de algo que realmente sirva e gere benefícios as pessoas.

  • Qual legado você quer deixar?
  • Qual a história de vida quer contar?

Habilidades necessárias para ter sucesso no mundo dos negócios

Há dois tipos de empreendedores: os que são motivados pela oportunidade e os que vão pela necessidade. Devido à realidade de nosso país, cresce o número de empresários motivados pela necessidade, gerando certa apreensão sobre o preparo destas pessoas para os desafios do mercado.

Acreditamos, contudo, que embora o empreendedorismo necessite de uma série de qualificações, quem empreende por necessidade não é menos empreendedor. Afinal, com disposição e foco, é possível aprender conceitos, técnicas e adquirir grandes experiências. Quer saber o que um empreendedor precisa desenvolver para ser bem-sucedido no mundo dos negócios? Acompanhe os tópicos a seguir!

Não deixa a falta de dinheiro ser um empecilho

Quando empreendemos, é necessário que tenhamos foco nos meios e não no objetivo. Desta forma, em vez de definir uma meta e correr atrás de investimentos para torná-la uma realidade, é necessário que você verifique os recursos à disposição e o que pode fazer dentro de sua rede de contatos.

  • Quais são so recursos internos e externos que você já possui?
  • Quais seus conhecimentos e experiências prévias?
  • Quem são as pessoas que você conhece e pode contactar?

Esta atitude escapa do estereótipo de que, para ser empreendedor, alguém precisa ter muitos recursos ou contrair dívidas. Se você começa um negócio sem grande uma quantidade de dinheiro, arrisca somente o que pode perder, o que gera a oportunidade de aprender durante o processo. Isso o tornará mais maduro para assumir riscos maiores no futuro. Por isso, se você tem uma grande ideia no papel, comece por aquilo que você já tem.

Tem coragem para correr riscos

Arriscar-se faz parte da rotina de um empreendedor, mas correr riscos é bem diferente de correr perigo. Uma pessoa corre perigo quando está sem informações suficientes. Já um indivíduo bem informado pode tomar decisões de forma mais consciente, calculando riscos e prevendo algumas saídas. Para começar, analise aquilo que você já sabe sobre o negócio que quer criar:

  • O que eu já sei sobre esse modelo de negócio?
  • Quais experiências possuo que poderão ser úteis?
  • Que habilidades eu não possuo e preciso desenvolver ou contratar de alguém?
  • Qual o tamanho desse mercado?
  • Quanto tempo, em media, levarei para ter retorno?

Sabe se planejar

É muito importante que você tenha ciência de onde está, onde deseja chegar e o que é preciso fazer para chegar até lá. Criar um plano de ações e de negócios, bem como monitorá-lo e revê-lo, é essencial.

  • Por que escolhi investir nesse negócio?
  • Como isso está alinhado com o meu propósito?
  • Esse negócio está alinhado com meu estilo de vida dos sonhos?
  • Quais minhas metas de curto, medio e longo prazo?

Entende que errar faz parte do processo

J.K. Rowling, criadora da série Harry Potter, enviou cópias da “Pedra Filosofal” a mais de dez editoras, recebendo um “não” em todas as tentativas. As aventuras do bruxinho mais famoso do mundo só foram publicadas quando a autora encontrou a Bloomsburry, uma pequena editora na época.

O outro livro da autora, denominado “The Cuckoo’s Calling”, também foi rejeitado. Hoje, muitíssimo bem-sucedida, Rowling usa as notas de rejeição que recebeu no passado como uma motivação diária. Oprah Winfrey e Walt Disney também tiveram histórias semelhantes.

Mais importante do que evitar erros a todo custo é estar disposto a administrá-los a favor do negócio e crescer com eles. Afinal, você pode cuidar de tudo o que está sob seu controle, mas fatores externos existem! Ser empreendedor é também saber superar fracassos e adaptar-se a eles, transformando o inesperado em algo de valor. Procure falhar o quão cedo possível. Fracassos pequenos são bem mais fáceis de administrar, certo?

  • O que posso aprender com esse erro ou obstáculo?

Tem habilidade para liderar

Um empreendedor precisa ser um bom ouvinte e saber motivar a equipe sempre, disseminando os objetivos da empresa de maneira clara e mantendo o comprometimento dos colaboradores. Ele também necessita ter o bom-senso de contar com a sabedoria e a experiência de parceiros que possam somar ao negócio.

  • Quem são os líderes que me inspiram? O que eles têm em comum?

Conhecimento além do formal

De acordo com o Global Enterpreneurship de 2015, a taxa de empreendedorismo no Brasil foi de 39,3%, graças às melhorias do ambiente legal no país. Estamos entre os primeiros lugares no ranking de empreendedorismo no mundo. Uma breve caminhada pelo centro de nossa cidade e poderemos ver que uma boa parte dos empreendedores, já estabelecidos, não têm um segundo grau completo.

Como afirma o artigo Can Entrerpreneurs Be Made, de Vivek Wadhwa, empreendedores não necessitam das informações abstratas e teóricas fornecidas pelas escolas de negócios. O que eles realmente precisam é de um ensino prático, que vá de encontro às necessidades do negócio naquele momento.  E acredite, uma boa parte deste conhecimento não está no currículo formal da maioria das universidades brasileiras. Daí o crescimento dos cursos livres em nosso país.

Por oportunidade ou por natureza, ser empreendedor é nunca estar confortável com o que é considerado normal ou padrão. É desejar transformar o mundo e acreditar que a mudança está justamente em fazer tudo o que estiver ao seu alcance. Ainda tem dúvidas sobre a formação em empreendedorismo ou sobre algum de nossos cursos? Deixe o seu comentário e compartilhe as suas ideias conosco!

Shares
Share This