Problemas no trabalho são comuns a todos. Nem sempre você terá um chefe compreensivo, um ambiente harmonioso e tempo para a família. No entanto, quando as vertentes negativas começam a se sobressair diante das positivas, talvez seja a hora de fazer uma reflexão mais profunda e, quem sabe, até mesmo cogitar mudar de carreira.

Antes de qualquer coisa, é fundamental analisar o grau de insatisfação que o seu atual trabalho vem trazendo. Se se trata apenas de problemas superficiais e passageiros, talvez seja o caso de reconsiderar.

Mas, se você está se sentindo frustrado e desmotivado a maior parte do tempo e há momentos nos quais não consegue enxergar um propósito na própria vida, pode ser que tenha chegado a hora de mudar.

Caso chegue à conclusão de que a mudança realmente se faz necessária, evite agir com a “cabeça quente”. Quando estamos nervosos com alguma situação, corremos o risco de tomar decisões impensadas, que poderão colocar a perder toda a nossa carreira profissional.

Portanto, pondere antes de tomar uma atitude e comece agora mesmo a planejar cada passo para a grande mudança. É importante ter em mente que não é necessário largar o seu atual emprego para só depois começar a empreender. A transição poderá acontecer gradualmente, até chegar o momento no qual você terá de escolher uma das carreiras.

Mas, até essa hora chegar, você já terá uma estrutura que possibilitará uma escolha consciente. Pensando em ajudar nessa importante decisão, listamos abaixo algumas dicas para construir tal base:

1. Comece a se preparar para mudar de carreira

Largar o emprego para empreender exige uma preparação psicológica e emocional maior do que você imagina. É necessário estar consciente de que nenhuma transição é fácil — e pode ser que você precise reduzir o seu padrão de vida por um tempo maior do que o inicialmente planejado.

Ser o seu próprio patrão também significa trabalhar mais e ter mais responsabilidades. A ideia de não ter nenhum “chefe” acima de você pode parecer bem sedutora, mas é necessário ter em mente que cada cliente seu também se torna um pouco chefe, já que você terá de agradá-lo (para que ele continue te proporcionando lucro).

Esteja consciente de que a fase da mudança pode ser difícil e desgastante. Mas, se você acredita que vale a pena passar por isso para ter uma vida profissional mais satisfatória e prazerosa, prepare-se e vá em frente.

2. Trabalhe a partir de sua própria casa

Você pode começar a empreender antes mesmo de largar o emprego atual. Antes de tudo, desconstrua a ideia de que é preciso um escritório mobiliado, com direito a telefone e ar-condicionado, para começar a trabalhar.

Comece a partir de sua própria casa. Se você conta com um computador, uma linha telefônica e conexão com a internet, já tem o suficiente para dar início ao seu próprio negócio. Uma vez decidido em qual ramo deseja atuar, pode ser necessário investir em mais algum tipo de equipamento (ou mercadorias, caso deseje montar uma loja, por exemplo).

Quando o seu empreendimento começar a dar certo, pode ser que surja a necessidade de um espaço maior. Mas, enquanto o atual emprego é mantido, trabalhar de casa será estratégico e evitará que você fique ainda mais afastado da família.

3. Estabeleça prazos para si mesmo

Muitas pessoas esperam que o seu negócio “dê certo” para, só depois, largar o atual emprego. Porém, é preciso estar consciente de que pode ser que o seu empreendimento não esteja andando na velocidade que deveria pelo simples fato de que você não tem tempo e energia necessários para se dedicar a ele.

É claro que é primordial analisar quais são as chances reais, mas vai chegar um momento no qual será preciso decidir. Assim que iniciar o empreendimento, estabeleça um prazo dentro do qual você deverá optar por uma das carreiras.

Quando esse tempo estiver esgotado, pare e pense no crescimento obtido até hoje em seu próprio negócio. Perceba que você poderá potencializar esses avanços caso possa dedicar-se a ele em tempo integral.

Só evite criar o hábito de postergar o prazo: quem age assim está, na verdade, com medo de tomar a decisão e corre o risco de passar a vida toda “perdido”, sem saber o que realmente quer fazer. E é claro que essa situação só trará mais estresse e insatisfação. Portanto, crie uma meta sensata e cumpra-a.

4. Faça o seu “pé de meia”

Você se lembra de que falamos, no tópico acima, sobre a possibilidade de não ser possível esperar que o seu empreendimento seja um sucesso para, só depois, dedicar-se integralmente a ele? Quando você decidir sair do emprego atual para viver do seu próprio negócio, terá que reduzir o seu padrão de vida por algum tempo.

Se você tinha um bom salário, é bem provável que os seus ganhos diminuam drasticamente, ao passo que ainda será fundamental ter um “gás” para continuar investindo, além de sobreviver e pagar suas contas pessoais. Portanto, a partir do momento em que decidir trilhar esse caminho, será necessário poupar dinheiro.

O mais importante é não perder o foco e não desanimar nas primeiras dificuldades que surgirem. Se você tiver uma reserva capaz de suprir suas necessidades até que o seu empreendimento comece a trazer lucros, será mais fácil não entrar em desespero e nem levar a sua conta bancária ao vermelho (ou o seu nome ao SPC).

Como vimos acima, mudar de carreira exige uma preparação psicológica e financeira, além de uma boa dose de “sangue frio” para lidar com todas as inseguranças trazidas por qualquer tipo de transição. A motivação principal deve ser a perspectiva de, logo após a “tempestade”, conquistar a tão sonhada satisfação profissional e sentir que a sua vida realmente tem um propósito (e que você o está cumprindo).

Se as dicas acima te encorajaram a colocar em prática o plano de mudar de carreira, que tal conhecer o nosso curso para quem deseja começar a empreender? Foco no seu objetivo e boa sorte!

Shares
Share This