O plano de negócio é o documento essencial que mapeia oportunidades e prevê gastos na criação de uma empresa. Trata-se do primeiro passo para quem deseja empreender. Nele, você transfere as ideias para um documento físico, mostrando como atingir estrategicamente cada ponto do futuro empreendimento — aumentando bastante suas chances de sucesso.

vontade de fazer acontecer, característica comum de muitos tipos de empreendedores, às vezes negligencia a fase de planejamento do novo negócio. Quem reconhece a necessidade de elaborar o plano de negócio nem sempre dispõe de capacidade técnica ou as orientações necessárias para fazê-lo.

Continue a leitura e confira o passo a passo para fazer o seu plano de negócio!

O amadurecimento da ideia

Antes de começar a montar o plano de negócio, reflita bastante sobre a sua ideia. Verifique se ela é realmente uma oportunidade de negócio.

O Método Canvas é recomendado nessa etapa, em que a validação da ideia permite que você, empreendedora, consiga montar um plano mais robusto e eficiente.
>> Aproveite para baixar o e-book gratuito: Como escolher a melhor ideia de negócio para empreender.

A organização do sumário

O plano de negócio começa pelo sumário executivo. Nele, você colocará os aspectos do plano para que haja uma ideia de cada seção. Por ser um resumo de tudo, é a última parte a ser escrita e deverá conter uma breve descrição da empresa.

Aqui, você descreverá o que é o seu negócio, quais são os diferenciais competitivos que ele tem, a missão, o seu perfil de empreendedor, os produtos e serviços que serão oferecidos, o segmento de clientes que será atendido, a localização da empresa, o investimento total, os indicadores financeiros, a forma jurídica e o enquadramento tributário.

A análise de mercado

Essa etapa do plano de negócio visa identificar quem são os clientes, concorrentes e fornecedores. Detalhe aqui os produtos e serviços que pretende oferecer, bem como os seus diferenciais.

A identificação do público-alvo do seu empreendimento é fundamental. Por mais óbvio que pareça, lembre-se de que nenhuma empresa existe sem ter clientes. Isso pode ocorrer caso você mire no público errado.

Busque informações detalhadas sobre quem é o cliente, onde ele mora, quais são os seus hábitos, se é pessoa física ou jurídica, como ele se comporta e o que busca no mercado. Para levantar essas informações, elabore questionários, realize entrevistas e converse com clientes potenciais. Existe outro meio para se alcançar os mesmos resultados: analisando a concorrência.

Todas as informações que forem coletadas permitirão que se faça um retrato do mercado. Ele servirá de guia para indicar se o seu negócio está indo na direção certa ou não. São esses resultados que pautarão as promoções e ações de marketing, cujo objetivo é conquistar o público-alvo logo no início da operação.

A qualidade e o custo-benefício

Esse é o momento em que você pensa sobre o posicionamento do seu produto e/ou serviço. Como você pretende que ele seja visto pelo mercado?

Nessa etapa, quanto mais dados sobre o mercado você conseguir reunir, mais conhecimentos e subsídios suficientes terá para desenvolver um plano de marketing.

O plano operacional

A parte operacional do plano de negócio é o responsável por definir como a sua empresa desenvolverá e comercializará os produtos e serviços. Liste aqui todos os equipamentos que serão utilizados, a quantidade de recursos humanos a ser contratada e o tempo demandado para cada processo.

É nessa etapa que você deve se perguntar se conseguiria executar a estratégia necessária para se destacar no segmento em que pretende entrar.

Defina aqui a capacidade instalada, que é o quanto a sua empresa consegue produzir, vender ou prestar serviços durante um determinado período. Ela é influenciada por fatores como o número e o preparo dos funcionários, a produtividade dos equipamentos, a disponibilidade dos fornecedores e a capacidade de distribuição e armazenamento.

O plano financeiro

O plano financeiro apresenta em números as ações planejadas. Se concluir que o negócio tem espaço no mercado, o próximo passo é o cálculo do investimento de implantação. Coloque no cálculo os investimentos fixos (equipamentos, móveis e veículos), os investimentos pré-operacionais (reformas e registro da empresa), recursos financeiros para financiar clientes em compras a prazo e o capital de giro.

Faça também a análise comparativa entre receitas e custos, identificando o quanto gastará e o faturamento esperado. Este levantamento permitirá construir o demonstrativo de resultados. Nele, despesas e receitas serão colocadas lado a lado para saber se o empreendimento consegue operar no lucro ou no prejuízo.

Tenha consciência de que quem não mede, não gerencia. O plano financeiro permite calcular outros indicadores, como o ponto de equilíbrio (faturamento mínimo para que não haja prejuízo), prazo de retorno do investimento (tempo para que se recupere o capital investido) e a lucratividade.

A análise de cenários

Toda empresa corre riscos, seja quando é criada ou quando já está em pleno funcionamento. Prever e administrar esses riscos pode garantir a continuidade do negócio. A análise de cenários traz mais entendimento sobre como será o comportamento do seu empreendimento.

Para os cenários de maior probabilidade são desenhadas diferentes estratégias. Simule valores e situações diversas, preparando cenários em que o negócio obtenha resultados pessimistas, como a queda das vendas e o aumento dos custos, e os resultados otimistas.

Pense em ações para prevenir adversidades ou potencializar situações favoráveis.

A atualização do plano de negócio

O plano de negócio não é um documento engessado. À medida que você vai fazendo, poderá mudar a quantia a ser investida ou como será o seu produto final. É melhor fazer as alterações dentro do plano do que com a empresa já em funcionamento.

Quando ela estiver ativa no mercado, você também deverá fazer algumas adaptações no seu plano de negócio. O objetivo aqui é realizar a atualização dos dados levantados de acordo com a realidade e o crescimento da empresa.

Errar no papel é bem mais seguro do que no mercado, não é verdade? Com as dicas acima, prepare-se para elaborar o plano de negócio do seu empreendimento.

Aproveite para aprimorar o seu conhecimento conferindo mais um de nossos posts: Método Canvas: o que é isso e como ele pode ajudar meu negócio?

Shares
Share This