Empreender é sempre uma decisão difícil. Você perde a segurança do salário fixo no final do mês e todas as decisões são de sua responsabilidade e de mais ninguém. Mas tirar uma ideia do papel e vê-la crescer, se desenvolver e tornar-se um grande empreendimento supera qualquer medo que possa surgir no caminho.

Superar as crenças limitantes, as barreiras que nós mesmos impomos ao nosso sucesso, é um trabalho diário. A dúvida que surge hoje tem que ser sua motivação de amanhã. Aprenda a vencer esses obstáculos e tire sua ideia do papel!

Será que eu consigo?

Essa é a primeira dúvida que surge quando decidimos empreender. Ainda mais quando estamos em um trabalho “seguro”. Cumprimos um horário, temos um chefe, seguimos regras estipuladas pelos outros. O caminho é fácil de seguir.

E quando empreendemos? O horário deixa de ser fixo, as horas extras não são remuneradas, as regras são criadas e aplicadas por nós mesmos. São grandes decisões todos os dias, pois falhar significa comprometer seu orçamento. Mas nem tudo é preocupação: você faz algo com que realmente se identifica, trabalha com mais prazer, tem tempo para a família.

Vencer esse medo é simples: acredite em si mesmo. De modo prático, liste suas competências, as conquistas que já teve, como se saiu de situações difíceis e o que aprendeu com isso. Ao final dessa reflexão você terá convicção de que sim, você consegue.

E se faltar dinheiro?

Muitos empreendedores começaram grandes negócios sem dinheiro algum no bolso. A vontade de fazer a diferença foi mais forte do que todos os dedos apontando e dizendo “você não vai conseguir”.

O planejamento é seu maior aliado para enfrentar esse desafio. Procure entender quais são os custos para tirar a ideia do papel, quanto você precisa poupar antes de se arriscar no voo solo e com quem você pode contar.

Um empréstimo de um familiar, um financiamento em um órgão de fomento, aquela renda extra que você tem com um trabalho freelancer, são algumas das fontes de recursos a que você pode recorrer.

Contagiar outras pessoas com a sua ideia e formar parcerias, quem sabe até conseguir um sócio para empreender junto com você, também são soluções perfeitamente alcançáveis. Dinheiro não falta, é só encontrar as alternativas certas.

O que as pessoas vão pensar?

A verdade é que boa parte das pessoas gostaria de empreender, de fazer algo que realmente ama, mas elas têm medo. Justamente o que você está tentando eliminar da sua vida ao ler este artigo.

Por medo de arriscar, elas tentam fazer com que você também não arrisque, e aí vêm os julgamentos e as opiniões que não acrescentam em nada: “você não vai conseguir”, “é muito difícil”, “fique no seu emprego estável” etc.

Sei o quanto esse tipo de energia pode ser limitante. Cansa, desanima, faz com que você pense que está fazendo algo errado. Mas não caia nessa! Pense em você, no que te faz bem e no que te fará feliz. Ganhar dinheiro só por ganhar não torna ninguém melhor. Um propósito de vida, sim.

Então, antes de sucumbir a essa montanha de críticas, reflita sobre seus objetivos de vida. Defina suas metas, estipule prazos e mantenha o foco. Faça-se de surdo para esse tipo de comentário e siga adiante. Quando seu sucesso chegar, não precisará dizer mais nada a ninguém.

E se eu fracassar?

Uma pessoa que não fracassa em algum momento da vida não aprendeu nada. São os tombos que levamos que nos ensinam a seguir adiante, a fazer diferente, a não dar bola para as risadas alheias.

Se você fracassar, tente outra vez. Não desista de imediato. Como diria Thomas Edison, “Eu não fracassei. Encontrei 10 mil maneiras que não dão certo”. Na tentativa 10.001, você pode ter êxito, assim como ele.

Procure sempre aprender com seus erros para não repetir. Por exemplo, se da primeira vez você quebrou porque não sabia precificar seus produtos e serviços adequadamente, vá atrás desse conhecimento. Se falhar outra vez, será por outro motivo, não esse.

O fracasso ajuda a construir um empreendimento mais sólido, com base em fatos e experiências. E isso, por si só, já é um grande diferencial para que você se destaque no mercado.

E se eu não der conta?

Empreender não precisa — e não deve — ser uma jornada solitária. No começo, temos medo de compartilhar nossas ideias por medo de alguém roubá-las. Mas a verdade é que ninguém cria um conhecimento completamente novo, apenas transforma aquilo que já sabe, dando uma nova interpretação.

O Facebook, o Twitter, o LinkedIn saíram do nada? É claro que não! Muitas outras redes sociais surgiram antes deles. O que os “criadores” dessas redes sociais fizeram foi dar aquela repaginada em um conceito que já existia há muito tempo.

Então, se você estiver com medo de não dar conta do recado, encontre outras pessoas que possam te dar apoio. Empreendedores que, assim como você, acreditam que é possível desenvolver novas soluções, melhorar o que já existe.

Se não encontrar essas pessoas no seu círculo de amizades, busque fora. Existem centenas de pessoas em sites de crowdfunding esperando para tirar boas ideias do papel. Investidores anjo que acreditam no espírito empreendedor e na capacidade de transformação dos outros.

E se a empresa crescer?

Todo empreendimento nasce para crescer, portanto, comemore! Se sua ideia der certo, se as pessoas acreditarem nas suas soluções, você terá feito um belo trabalho! Terá condições de gerar empregos, contribuir para a economia, desenvolver profissionais qualificados para o mercado.

Não tenha medo do sucesso. Quando ele vem, o melhor a se fazer é compartilhar com quem esteve ao seu lado durante a jornada mais dura. Recompense seus funcionários, agradeça a quem lhe emprestou dinheiro, valorize quem recomendou seu negócio, contribuiu para que ele crescesse.

Finalmente, continue se preparando para assumir novos desafios. Faça cursos, busque qualificação, mantenha-se informado. Assim como o mercado evolui, você também precisa evoluir!

Superou todos os seus medos? Então, não espere mais, entre em contato e comece a trilhar seu caminho de sucesso agora mesmo!

Shares
Share This