Meu nome é Isabela, tenho 32 anos e sou mãe de uma princesa de 3 anos chamada Sofia. Trabalho como gestora de pessoas em uma empresa do ramo alimentício e preciso admitir algo para você: eu amo ter hábitos rotineiros e confio no poder da rotina!

Você pode estar surpresa nesse momento, pois jamais imaginou encontrar alguém que gostasse de ter uma rotina, não é verdade? Pois é, prazer, essa sou eu!

Diariamente, você, assim como eu, tem diversas atividades para cumprir: acordar seus filhos, preparar o café, conferir se a lição de casa foi feita, organizar as lancheiras das crianças, enfrentar o trânsito, encarar os problemas do trabalho e outras tarefas mais. Acredite em mim: isso é muito bom!

Ter uma rotina pode transformar positivamente a vida de alguém e, hoje, eu vou contar para você como isso pode acontecer.

Tudo começa com a construção de um hábito

Você sabe o que é um hábito? Ele é uma maneira usual de ser, fazer ou sentir, uma forma permanente ou frequente de se comportar. Segundo o jornalista norte-americano Charles Duhigg, que escreveu o livro O Poder do Hábito, um hábito é formado em três etapas:

  • Deixa;
  • Comportamento;
  • Recompensa.

A primeira etapa, a deixa, funciona como uma espécie de gatilho. Minha filha, por exemplo, precisava ingerir bastante vitamina C (deixa). Eu incorporei em sua alimentação mais fontes dessa vitamina (comportamento).

Ela adorou e eu fiquei mais tranquila com os resultados dos exames médicos dela, que fizemos após a mudança em sua alimentação (recompensa). O prazer de ver a minha filha com saúde é uma enorme recompensa. Assim, criei um hábito.

Da mesma forma, aprendi a deixar as chaves do carro e o documento dele sempre no mesmo lugar. Quando eu preciso, sei onde estão. Aos domingos, por exemplo, tiro uma ou duas horinhas para passar toda a roupa que lavei durante a semana.

Transformei pequenas coisas em hábitos que incorporei em minha rotina. Sabendo como e quando devo agir, meu cérebro economiza energia e me poupa de ter que pensar toda vez que eu precisar realizar uma atividade.

Sofia aprendeu a dormir durante a noite

Nos dois primeiros aninhos da minha princesa, ela inverteu as ordens: de dia, adorava dormir; de noite, ficava extremamente agitada e querendo brincar.

Infelizmente, nós duas sabemos, a licença-maternidade dura apenas alguns poucos meses e, o que eu achava lindo (o fato de ela estar acordada quando eu estava em casa), se transformou em um pesado para mim. No dia seguinte, eu chegava extremamente cansada no trabalho. Meu rendimento caiu e isso prejudicou minha carreira profissional.

As crianças, desde o nascimento, precisam ter horários bem definidos. Elas dependem de você e precisam contar com o seu apoio nos momentos certos. Bebês que, durante o dia, têm a soneca interrompida passam a entender que o melhor período para dormir é a noite.

Após os 6 meses de idade, algumas regrinhas para dormir, comer e brincar são fundamentais para ajudar os corpinhos deles a regularem o ciclo circadiano. Esse ciclo corresponde ao que ocorre no corpo humano durante o período de um dia (24 horas).

A produção de hormônios, como o do crescimento, ocorre durante a noite, na fase do sono profundo. Por isso, é importante que, desde pequenos, nossos filhos saibam os horários corretos para dormir, brincar, assistir TV e outros mais.

Foi assim que lidei com a Sofia que, aos poucos, corrigiu seus horários e passou a dormir melhor durante a noite.

As recompensas estão logo ali

O primeiro dia da escolinha da Sofia foi extremamente tenso. Você, que é mãe, me entende. Que aperto deu em meu coração. Ter que deixar minha filha na escolinha foi algo similar a uma tortura para mim. Parecia que eu a estava abandonando.

Fui chorando para o trabalho e, naquele dia, mal consegui me concentrar. Por diversas vezes, tive vontade de inventar uma desculpa e sair correndo para buscar Sofia. Como moro perto do meu trabalho, procuro fazer minhas refeições em casa. Aproveitei o horário do almoço e passei para buscar Sofia na escola.

Cheguei esbaforida e logo fui falar com a professora, que me relatou que as primeiras horas foram complicadas, mas que depois Sofia passou a interagir com os amiguinhos e se comportou muito bem. Fiquei surpresa, esperava que ela fosse sofrer tanto quanto eu.

A primeira semana da escola da minha filha seguiu nesse ritmo: eu tensa e ela cada vez mais contente. Depois notei que, mesmo pequena, Sofia identificou a recompensa de ir à escolinha: depois de acordar cedo comigo, brincar e gastar energia, ao meio-dia, eu estava lá na porta para buscá-la.

A rotina foi incorporada em meu trabalho

Mais tranquila com o ritmo que adotei em meu dia a dia, e pelo fato de saber que eu tenho uma grande companheira de 3 anos de idade, enxerguei o poder da rotina em meu trabalho.

Comecei criando um sistema de organização em meus e-mails. Cada tipo de contato ganhou sua pasta e aprendi a colocar marcadores que indicavam o tipo de prioridade que eu teria que dar para cada contato. Também estabeleci momentos certos para checar e responder meus e-mails.

Começar pelos e-mails foi uma atitude simbólica. Aos poucos, passei a organizar o restante do meu dia de trabalho. Minha agenda passou a contemplar imprevistos ou demandas que possam surgir ao longo do dia, equilibrando melhor meu tempo.

Na empresa onde trabalho, às segundas-feiras, temos uma reunião com todos os gestores de todas as áreas da companhia. É um dia bastante corrido; portanto, me organizei para adiantar ao máximo o trabalho nas sextas-feiras e deixar para as terças-feiras o que poderia ser feito naquele dia. Nesse aspecto, um planejamento semanal foi fundamental em minha organização.

Da mesma maneira, parei de levar trabalho para casa. Antes, eu levava porque não conseguia me concentrar no escritório. Isso fazia com que eu não tivesse tempo para brincar com minha filha, mas apenas o suficiente para os afazeres domésticos.

Incorporando a rotina em meu dia a dia, independentemente de ser em casa ou no trabalho, eu consegui me encontrar: voltei a ter prazer em minha profissão, ser mais produtiva e tenho o orgulho de dizer que sou uma mãe atenciosa e muito presente na vida de minha filha.

Viu como a rotina transformou positivamente minha vida? Pare de encarar essa palavra como algo negativo. Torne-se uma grande aliada dela e aprenda a usá-la a seu favor.

O poder da rotina é o de ser libertador, embora muitos pensem, equivocadamente, que ela aprisiona. Mas é importante aprender sempre o lado positivo de tudo que temos em nossa vida. Por falar nisso, aproveite esse momento de aprendizado para ler um texto sobre o equilíbrio que deve existir entre trabalho e família e melhorar a sua qualidade de vida!

Shares
Share This