Em 2016, quase 1,9 milhão de brasileiros perderam seus empregos no país. Até novembro deste mesmo ano, o número de pessoas desocupadas chegou a 12,1 milhões, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). São números assustadores, mas que não devem servir de motivo para desesperar ou imobilizar quem foi demitido.

Esse é sem dúvida um momento difícil da vida – ainda mais quando a demissão é inesperada –, mas deve servir como um sinal de alerta sobre algo que deve ser modificado. Enfrentar uma demissão no trabalho exige alguns esforços rumo à superação.

Alguns profissionais, quando são demitidos, chegam a questionar a própria competência, a capacidade de liderar e até a capacidade de voltarem ao mercado. É preciso ter muita serenidade nessa hora e se lembrar de que a demissão é algo que pode acontecer na vida de qualquer pessoa. Ainda mais em momentos de crise, como o atual período pelo qual o país está passando, é comum ter muitos profissionais fantásticos e experientes sendo demitidos. Não se sinta injustiçado.

O que está em jogo não é apenas recuperar a fonte de renda, mas muitas vezes a autoestima, o autovalor e a dignidade de quem tem amor ao que faz. Para superar esse momento é importante se permitir ficar triste, fazer uma análise do motivo que levou à demissão, traçar metas que permitam a recolocação, apostar em capacitação, ativar o networking e se permitir fazer algo novo e antes impensado. Descubra como com a ajuda das dicas abaixo!

Viva o momento

A sociedade atual vive certa fixação com a felicidade. Ninguém pode estar triste ou se sentir infeliz que logo vira vítima de olhares indesejados. Ser demitido é algo difícil, então se permita ficar chateado e chorar pelas perdas que isso representa. Não finja que nada aconteceu e que você está ótimo. Inclusive, demonstre sua surpresa e insatisfação ao receber a notícia do empregador.

Manifeste o quanto você gostava da empresa e do trabalho, de forma equilibrada e sincera. Se despeça de seu gestor e dos colegas com cortesia e polidez, e fale como eles foram importantes para a sua carreira. O termo “desempregado” carrega sentido negativo, que leva à autodepreciação e desvalorização do indivíduo que passa pela experiência. Lembre-se de que esse é um período transitório e passageiro do qual você tem capacidade de sair.

Analise as causas

Viver o momento também quer dizer fazer uma análise detalhada para entender por que a demissão no trabalho aconteceu. Em muitos casos, os empregadores oferecem uma justificativa genérica como “redução no quadro” ou “questões relacionadas ao perfil da vaga”, mas tente entender melhor os motivos reais.

Analise o histórico de feedbacks recebidos e tente perceber algum indício de demissão. Se o retorno dado pelo RH não for claro a esse respeito, pergunte: esse desligamento está relacionado ao não-cumprimento de metas?  Tem a ver com as divergências na condução da equipe? Se achar que vale a pena e que há abertura, tente negociar se é possível continuar em outra função ou setor. Mas lembre-se: faça tudo com equilíbrio e elegância para manter as portas sempre abertas.

Aposte na capacitação

A hora é de buscar novas qualificações e cursos de atualização. Quando você está buscando novas oportunidades e fazendo entrevistas, é importante citar que, embora não esteja trabalhando no momento, está aproveitando o tempo para se atualizar. Vale apostar em cursos de aprimoramento técnico, mas também é muito importante dar um upgrade em questões comportamentais.

Principalmente para quem trabalha na área de gestão, a demissão do emprego é um bom momento para fazer um coaching de carreira. O processo pode te ajudar a entender melhor o fechamento do ciclo que passou e auxiliar na busca por novas oportunidades de uma maneira global e interdisciplinar.

Estabeleça metas para a recolocação

Essa é a hora de desenhar uma nova estratégia para voltar ao mercado. A demissão no trabalho pode sinalizar caminhos muito positivos na sua carreira, por isso é preciso ter tranquilidade para perceber e saber traçar as metas certas: revise o currículo, cadastre-se em sites especializados e em empresas de RH e atualize seu perfil no LinkedIn. Prepare a transição da carreira com todo cuidado possível.

Acione a sua rede de contatos e aproveite para fazer networking. Marque cafés e encontros com grupos para falar sobre seu atual momento e não tenha vergonha de pedir uma indicação. Também é uma boa hora para frequentar feiras, seminários ou outros eventos que sejam da sua área e que reúnam vários agentes presentes em seu mercado de atuação.

Permita-se mudar de rota

A demissão no trabalho também pode ser uma bússola – sim, uma bússola! – no sentido de te mostrar caminhos antes nunca pensados. A perda do emprego pode sinalizar que você precisa de uma mudança mais profunda na sua carreira, que às vezes pode significar mudar também de carreira.

Muitas pessoas se descobrem empreendedoras nesse momento da vida. Isso pode acontecer de duas maneiras: quem deseja empreender sem mudar de profissão e aqueles que empreendem e mudam completamente a área de atuação. Um analista de marketing, por exemplo, pode perceber que é uma boa hora para abrir a sua própria agência, mas a guinada também pode ser completa: um advogado que é um amante de culinária pode optar por se especializar nessa área e abrir um restaurante.

O empreendedorismo tem sido um caminho buscado por muitas pessoas que perderam o emprego. Não é algo fácil ou automático, no entanto. É um passo importante que exige preparação, estudo e muito planejamento, mas é possível criar uma mente empreendedora antes mesmo se se tornar um. Há uma série de questões que devem ser analisadas.

Ter o próprio negócio pode ser o que você precisa para retomar a sua atuação profissional depois de perder o emprego. Mas, antes de partir para o próprio negócio, pesquise bem que tipo de ramo poderia te agradar, faça pesquisas, analise o mercado de atuação e pense o que essa oportunidade te traria que o seu antigo emprego não poderia ofertar.

E você, já passou pela experiência de perder o emprego? Que ações contribuíram para que você passasse por essa etapa de forma equilibrada? Deixe seus comentários nesse post e compartilhe conosco a sua experiência!

Shares
Share This