7 passos para controlar a ansiedade (o 7º é o mais importante!)

7 passos para controlar a ansiedade (o 7º é o mais importante!)

Ficar ansiosa em determinados momentos da vida é algo que todo mundo já experimentou. É um processo natural, principalmente em circunstâncias como falar em público, submeter-se a uma entrevista ou receber uma notícia ruim como a demissão no trabalho. Mas sempre é possível controlar a ansiedade.

No entanto, algumas pessoas passam boa parte de seu tempo nessa condição. Assim, ansiosas e preocupadas com quase tudo que vivenciam, essa situação frequente e intensa torna-se impeditiva de uma vida normal. Pessoas assim passam os dias em um sofrimento angustiante tornando-se ansiosas quase que permanentemente.

Alguns sinais podem ser indicativos de que as coisas estão mesmo fora de controle e a ansiedade já se transformou em um transtorno, como por exemplo: excesso de preocupação ao longo do dia, medos irracionais, dificuldades com o sono, momentos de pânico, entre outros.

Existem algumas atitudes que podem lhe ajudar em momentos como esses. Veja, agora mesmo, alguns passos práticos de como proceder para controlar a ansiedade.

1. Respire conscientemente

Pare por um instante, sente-se de modo confortável, feche os olhos e respire profundamente. Acompanhe sua respiração com o pensamento. Inspire e expire naturalmente por diversas vezes, sem pressa, mas com o acompanhamento consciente, como se você verificasse se está “tudo direitinho”.

O simples acompanhamento de seu ritmo natural de respiração é um verdadeiro mantra para uma sessão de meditação profundamente relaxante, se você assim desejar. Basta continuar por um pouco mais de tempo com o processo de respirar de modo consciente. Você percebe, então, que a respiração vai ficando mais curta, menos profunda, com um ritmo todo próprio. Essa é sua respiração. Siga-a.

2. Pratique a atenção plena

A atenção plena (conhecida como mindfullness) é a consciência das próprias reações no momento presente. O exercício de prestar atenção em si próprio e na realidade presente afasta a tendência à ansiedade que é, quase sempre, resultado de alguma antevisão catastrófica. Não faça julgamentos, apenas se observe, como na respiração consciente mostrada.

O ideal para essa iniciativa é sempre realizá-la em seguida a uma sessão de respiração consciente, do modo como foi explanado acima. Assim, você evita o risco de deixar preocupações no piloto automático, agindo por conta própria, deixando para você apenas a ansiedade como resultado. Assuma o comando.

3. Valorize o seu momento presente

Prestando atenção à realidade à sua volta é muito mais fácil valorizar o momento presente. Considere os aspectos positivos do dia a dia e perceba que a ansiedade do passado pode, gradualmente, dar lugar a outros sentimentos mais presentes de fato. Perceba que às vezes a mente especula mais do que conclui.

Assim como a ansiedade procura suas razões para justificar sua existência, faça o mesmo com as coisas boas de sua vida. Pense sobre o que é bom à sua volta. Isso é valorizar o presente.

4. Mude sua atitude diante de algum problema

Ao defrontar-se com alguma situação angustiante, pare e analise conscientemente do que se trata realmente. Será que você não pode assumir uma atitude diferente dessa vez? Avalie suas opções e faça a escolha de mudar sua reação. Mais uma vez, esteja no comando e saia da zona de conforto para controlar a ansiedade.

Sempre que a opção é sua, sempre que você age de modo consciente, você evita a rotina interna implantada e programada para seguir o caminho da preocupação e da ansiedade. Essa é uma rotina que foi automatizada para transformar um pensamento em preocupação, e essa última em ansiedade. Mude-a a seu favor.

5. Reserve um horário para as preocupações

Pode parecer estranho, mas é bastante racional. Se você reserva um tempo de sua agenda diária para pensar nas preocupações que o incomodam consegue aproveitar melhor a maior parte do dia com menos ansiedade. Isso porque é certo que você se debruça sobre as questões que lhe deixam ansioso. E é preciso resolvê-las, mas um leão de cada vez!

Assim, tenha uma agenda para os seus afazeres de todos os dias. Ao mesmo tempo, arranje um espaço nela para refletir sobre suas preocupações. Procure cumprir com seus compromissos agendados, mesmo aqueles cujo compromisso é com você mesmo. Sempre que possível, evite ações não agendadas.

Faça desses momentos uma consulta marcada com você mesmo. Chegue na hora certa, descubra o tratamento e mãos à obra!

6. Faça uma caminhada diariamente

Uma das maiores contribuições que se pode dar à própria saúde física e mental é a adoção da prática de uma caminhada diária, por cerca de uma hora. Faça um esforço e inclua essa atividade na sua rotina. Os resultados vão animá-lo.

Trata-se, não apenas de benefícios físicos diversos principalmente para o coração, mas também é uma excelente terapia, sobretudo para os ansiosos e para redução do estresse.

Uma caminhada assim é também um excelente momento para o exercício da gratidão. Seja grato pelo ar que respira, pela possibilidade de andar, de pensar, de fazer planos, de voltar para casa e cumprir com a sua agenda.

7. Mapeie sua ansiedade (o passo mais importante!)

Naquele momento agendado que você reservou para as suas preocupações, procure descobrir quais pensamentos provocam ansiedade em sua vida. Racionalize o sentimento ou a emoção. Destrinche o evento angustiante e chegue até sua origem.

Na verdade, desafie os fundamentos daquilo que lhe preocupa. Encare de frente e questione as possíveis razões do evento preocupante. Algumas vezes você pode ser surpreendido com a constatação de que ele simplesmente não existe. Mas é preciso olhar de frente.

Faça uma espécie de “mesa redonda” com você mesma e avalie opções de ação para as preocupações de fundo real. Assim, trabalhe no sentido de substituir o seu rol de “problemas” por uma lista de “coisas a fazer”. Lance essas coisas na sua agenda como os compromissos que você sempre cumpre. Pronto. Próximo!

Você viu diversas dicas para auxiliá-lo na gestão de suas preocupações e como controlar a ansiedade. São medidas muito práticas para auxiliá-lo nessa jornada.

Tenha em mente, no entanto, que o melhor caminho para as soluções definitivas nesses casos é a orientação de um profissional habilitado. Ele é a pessoa capaz de personalizar a solução mais adequada para o seu caso, de modo a agir sobre a origem do transtorno e não apenas nos efeitos aparentes que incomodam.

Já experimentou algumas dessas dicas? Possui alguma ideia que adotou e que trouxe bons resultados? Compartilhe aqui deixando o seu comentário.

Qualidade de vida: viver para trabalhar ou trabalhar para viver?

Qualidade de vida: viver para trabalhar ou trabalhar para viver?

Muitas pessoas vivem em uma corrida contra o relógio. De casa para o trabalho e do trabalho para a casa. Com tanta pressão para cumprir metas, capacitar-se constantemente e pagar as contas, mal sobra tempo para manter a qualidade de vida.

A verdade é que o status, o consumismo e a falta de controle financeiro ainda são as principais motivações para as longas jornadas de trabalho e uma busca desenfreada para ganhar mais e mais.

Milhares de profissionais estão há décadas na mesma situação: exaustos, frustrados e com a saúde comprometida. Tanto que a Agência de Saúde Pública de Barcelona, na Espanha, destacou que viver para trabalhar pode causar, principalmente, problemas cardíacos, doenças de pele e transtornos mentais, como a depressão.

Diante desse cenário, a pergunta que resta é: será que vale mesmo a pena dedicar toda a sua existência ao trabalho? Nós temos certeza que não.

Se você se encontra nessa situação, saiba que existem algumas saídas para construir uma carreira de sucesso sem abrir mão da qualidade de vida. Quer saber quais são elas? Confira a seguir:

1) Invista na criação do seu próprio negócio

A pressão por resultados nas empresas sempre existiu, mas em tempos de recessão econômica pode se agravar ainda mais. Situações como essa tornam o investimento em um negócio próprio uma solução viável para ganhar dinheiro sem abrir mão da qualidade de vida.

Claro que a vida de um empreendedor também não é fácil, mas, finalmente, você terá a oportunidade de viver para um trabalho que segue suas próprias regras e no qual acredita com recompensas maiores do que o lucro, como:

Fazer o que bem entender com o seu tempo

Tempo pode ser mais valioso do que dinheiro, se for bem utilizado. É comum, em jornadas de trabalho tradicionais, existirem aqueles dias em que a produtividade simplesmente não existe: vai-se ao escritório apenas para cumprir horas.

Ter o seu próprio negócio te dará a oportunidade de criar a sua jornada de trabalho e atuar nos momentos em que se sentir mais produtivo e motivado. E qualidade de vida está associada à possibilidade de fazer as suas próprias escolhas, de acordo com o seu tempo e com o que for melhor para você.

Ter oportunidades de aprendizado

A estagnação pode ser um grande problema dos empregos tradicionais, principalmente para profissionais que estão há anos no mesmo cargo. Sem oportunidades de aprendizado e novos desafios, é comum ver pessoas menos motivadas e que perdem o propósito na sua atuação profissional.

Para desenvolver seu negócio, o empreendedor precisa estar em constante evolução. Compreender as necessidades de cada departamento, além de acompanhar o desenvolvimento do mercado consumidor exige constante atualização.

Trabalhar em um ambiente que promove a inovação, o aprendizado e o desenvolvimento pessoal é dar a si mesmo uma dose de motivação porque você percebe o quanto pode crescer e evoluir, tanto profissional quanto pessoalmente. E disso ninguém deve abrir mão, nem pelo dinheiro.

Ser o seu próprio chefe

Abrir o próprio negócio não significa que você não terá mais de receber ordens. Afinal, até mesmo os empreendedores precisam responder aos investidores e aos fornecedores. Ser o seu próprio chefe significa ter liberdade para fazer as próprias escolhas, criar oportunidades e ter uma noção real do seu valor como profissional. E o melhor: até onde você pode ir, sem amarras nem a pressão para ganhar a aprovação de outra pessoa.

Conquistar a liberdade financeira

Quantas pessoas trabalham, com desempenho excepcional, há anos para a mesma empresa e nunca receberam um aumento de salário? Quantos profissionais se mantêm em um trabalho que odeiam apenas pela compensação financeira? Incontáveis.

Mesmo com uma jornada árdua, o empreendedorismo pode te dar a liberdade financeira que você tanto sonha e a oportunidade de fazer algo que adora. O mercado para novos negócios se mostra cada vez mais promissor. Assim, se você criar um produto ou um serviço que gere valor, o sucesso será garantido.

2) Construa um plano de carreira

A falta de metas claras pode ser um dos principais problemas de quem vive para o trabalho. Se você não sabe verdadeiramente o que quer, fica mais difícil entender que caminho seguir e que atitudes tomar.

Responda sem pensar: você está feliz com o seu trabalho? Se a resposta for “não”, um plano de carreira pode te ajudar a entender as suas expectativas e identificar as suas habilidades e os seus pontos fracos para fazer as mudanças necessárias — seja de empresa, seja de área de atuação.

E mesmo que a sua resposta para a nossa pergunta tenha sido “sim”, ele ainda será útil. Com um plano em mãos, você pode ganhar mais flexibilidade na empresa e a confiança dos seus supervisores.

Esse tipo de estratégia é muito útil para demonstrar que o seu desempenho e o seu comprometimento não dependem do número de horas que passa no escritório, mas sim da sua capacidade como profissional.

3) Melhore a sua organização

Se você planeja bem o seu dia, é capaz de realizar diversas atividades em um espaço de tempo muito menor.

Sem organização, será inevitável viver para o trabalho. E quando você menos esperar, a aposentadoria estará batendo à porta sem que você tenha aproveitado os momentos com a família, com os amigos e consigo mesmo. Faça do tempo um aliado.

4) Estabeleça prioridades

Você já parou para pensar sobre o que realmente espera da vida? Em que ordem estes itens aparecem na sua lista de prioridades?

  • Família;
  • amigos;
  • relacionamento;
  • trabalho;
  • dinheiro;
  • e felicidade.

O 1º passo para encontrar equilíbrio e qualidade de vida é estabelecer suas prioridades e somente então trabalhar por elas.

Por exemplo: se os seus filhos são mais importantes do que o seu emprego, você deve dedicar mais tempo a eles. Se pedir demissão não for uma opção, é preciso pensar em alternativas para fazer isso acontecer, como dizer “não” às horas extras, parar de levar trabalho para casa ou mudar de emprego.

Quando você estabelece prioridades, fica mais fácil resolver problemas que parecem complicados. Além disso, você para de se culpar e de trabalhar tanto por algo que não traz valor para a sua vida.
Gostou das nossas dicas? Acredita que elas foram úteis na sua busca por qualidade de vida? Então compartilhe-as nas redes sociais e ajude os seus amigos!

Trabalho e família: como equilibrá-los sem perder a cabeça?

Trabalho e família: como equilibrá-los sem perder a cabeça?

De acordo com dados divulgados pelo The Guardian apenas um em cada 10 vagas de trabalho no Reino Unido mencionam a flexibilidade no trabalho. Isto afeta não só a qualidade de vida dos colaboradores, mas também a saúde da empresa, que perde atrativos para gerações mais novas. O Brasil, um país em amplo desenvolvimento, segue o mesmo comportamento tanto das empresas, quanto dos novos entrantes no mercado de trabalho.

A questão do equilíbrio entre trabalho e família não é nova. Porém, as mudanças trazidas pelos avanços tecnológicos fizeram com que trabalhadores estivessem sempre conectados ao trabalho. E para ter um tempo extra para a família e para os hobbies que preenchem a rotina com mais significado, o equilíbrio é um ingrediente fundamental. Vamos conferir algumas dicas para iniciar uma mudança com o pé direito?

Aprenda a priorizar

Se você deseja mais equilíbrio entre o trabalho e a família, você terá de se educar pessoal e profissionalmente. Observe sua rotina com atenção e verifique todas as coisas que competem pelo seu tempo, separando o que precisa ser mantido e o que pode ser descartado. O que é realmente importante para você?

Se você faz muitas atividades extras, como academia, yoga ou voluntariado, verifique a que é mais significativa para o bem-estar de seu corpo e foque-se nela. O mesmo vale para o acesso a redes sociais e outras atividades de procrastinação. Hoje, uma boa parte delas já permite o envio de notificações diretas para seu celular, e você não precisa checá-las todo o tempo para estar atualizada.

Este tipo de foco no que é importante para você não é natural, e exige uma forte auto-disciplina. Mantenha-se firme aos seus objetivos!

Aprenda a dizer “não”

Lembre-se que você pode recusar ofertas cuidadosamente. Se você está recebendo convites que envolvam um tempo a mais de trabalho e que não contribuam tanto assim com os seus objetivos, não há problemas em recusá-las.

Somos muito pressionadas a vivermos trabalhando e demonstrarmos esta carga de trabalho por aí. Mas de que adianta aceitar uma porção de tarefas se não damos conta de executá-las bem? A pergunta-chave aqui é: essa proposta está alinhada com os meus objetivos?

Peça ajuda

Vamos combinar uma coisa: você não precisa acumular tarefas para ser admirada no trabalho ou pela sua família. Um passo importante para ter mais equilíbrio entre a vida profissional e pessoal é admitir que precisa de ajuda. Pratique a autocompaixão!

Delegue tarefas sempre que necessário e tenha confiança em seus colegas de trabalho. Em casa, quando precisar, peça a ajuda com os afazeres domésticos e no cuidado com os filhos.

Aprenda a lidar com a culpa

A Mulher-Maravilha é uma personagem inspiradora, e por mais que desejamos vestir os nossos maiôs par enfrentar todos os males do mundo com super-poderes, é preciso lembrar que ela é parte de uma ficção.

Pessoas reais não agem da maneira ideal o tempo todo, e nem sempre podem fazer tudo o que gostariam. Não se sinta culpada se perder um jogo de futebol, ou uma festa de amigos. Apenas não deixe que o trabalho engula suas relações com as pessoas que você mais gosta.

Adote horários mais flexíveis

Se o seu trabalho tem a possibilidade de ser executado em um horário mais flexível, converse com seus gerentes. Cada vez mais empresas no Brasil estão adotando jornadas de trabalho flexíveis: no Rio de Janeiro, elas já são 67%, segundo a Data UniCarioca.

Desta forma, você pode chegar mais cedo para evitar o trânsito e fazer home office quando a escola de seu filho fizer uma reunião de pais e professores.

Caso a sua empresa ainda não adote horários flexíveis, converse com o setor de RH sobre esta possibilidade, apresentando argumentos e trazendo depoimentos de pessoas que têm as mesmas solicitações.

E não se sinta mal em relação aos seus colegas caso eles optem por não escolher um horário flexível. Cada um tem suas necessidades e maneiras de se organizar.

Valorize seu tempo com você mesma

Permita-se um tempo consigo mesma para descansar a mente e praticar o autoconhecimento. Aprecie a paisagem enquanto anda a pé ou no ônibus, aproveite a música em seu carro e coma seus lanches com calma. Se você não permitir a si mesma alguns instantes, logo se sentirá sobrecarregada ou incapaz de apreciar os momentos de sua vida.

Faça um bullet journal

Organização é um termo-chave para um mente mais tranquila. O número de aplicativos e soluções tecnológicas para melhorar a produtividade e o gerenciamento de tempo cresce a cada dia. Porém, a maioria destes apps força os usuários a trabalharem dentro das regras estabelecidas por eles, ao invés de se ajustar à rotina de quem os usa. O papel e a caneta, porém, podem ser usados da maneira que você preferir. E é por isso que os bullet journals têm feito tanto sucesso!

Ryder Carroll criou o método quando percebeu que mais e mais profissionais de tecnologia usavam papel para registrar ideias e montar planejamentos.

Basicamente, o bullet journal consiste em abrir uma página, inserir a data e, embaixo, o que você precisa fazer no dia. Ele pode ser utilizado para planejar o dia, a semana ou o mês, bem como projetos e atividades, registrar gastos e organizar informações úteis.

O ideal é que nas primeiras páginas, você faça um índice orgânico, criado à medida que você for adicionando informações ao caderno. Separe até 4 páginas para isso.

Em seguida, crie o log do mês, que é uma página destinada a listar os números dos dias e os dias da semana correspondentes ao lado dos números (veja esta referência). Na página ao lado, você deve criar uma lista de tarefas que precisa fazer naquele mês.

Após fazer o log do mês, vá inserindo os dias. Você pode fazer isto dia a dia ou criar entre 2 a 3 dias por página para todo o mês. Lembre-se de numerar as páginas!

Você pode usar bolinhas para os compromissos, hífen para informações importantes e uma caixinha de “check” para tarefas. Um asterisco pode ser usado para as prioridades do dia. Crie sinais para quando as tarefas forem canceladas e adiadas. Mantenha os ícones para não bagunçar as suas listas!

No Pinterest, você encontra uma série de ideias para fazer um bullet journal divertido. Assim, você mantém a mente em ordem para passar um tempo mais tranquilo com quem você mais ama. Veja mais dicas de gestão de tempo!

Pronta para passar mais tempo com as pessoas que você mais gosta e trabalhar de maneira saudável? Se você tem mais dicas para encontrar equilíbrio entre trabalho e família, conte para a gente na sessão de comentários abaixo!

Pare! E aprenda como criar uma rotina saudável

Pare! E aprenda como criar uma rotina saudável

Criar uma rotina saudável não significa apenas dar conta de todas as demandas de casa ou do trabalho. Também envolve tratar o corpo e a mente como elementos importantes, que merecem atenção no seu dia a dia.

Já te mostramos como se tornar mais produtiva, conciliando trabalho e família e fazendo uma gestão de tempo eficiente. Mas, hoje, o que queremos que você realmente aprenda é como ir além das dicas básicas de “se exercite” ou “durma oito horas por dia”.

Em outra palavras, queremos te ensinar a fazer, de fato, uma mudança de hábitos e de pensamentos, que te conduzirá para uma rotina mais saudável sem esforços. Então continue lendo, e boa leitura!

Invista em Agile Coaching

Muito se fala sobre administração do tempo e a importância de manter as tarefas organizadas para criar uma rotina saudável. Mas, na prática, sabemos que nem sempre é fácil preencher o dia com atividades úteis, que tragam resultados esperados e que melhorem a nossa vida.

Na verdade, muitas pessoas já identificaram quais aspectos precisam mudar e já possuem a inspiração necessária, mais ainda não sabem exatamente por onde começar. E é aí que entra o Agile Coaching!

Basicamente, seu foco é voltado para quem deseja corrigir aspectos que não estão dando certo, ou tem medo de fazer mudanças e se sente perdida sobre que rumo tomar. Tudo isso de maneira simples, e mais rápida.

Nesse sentido, um coach não te dirá exatamente o que fazer, mas te fornecerá o máximo de ferramentas para que você tome boas decisões por si só.

Assim, por meio de feedbacks e questionamentos, ele definirá algumas ações — de acordo com uma análise individual da sua vida — para que você crie uma rotina mais saudável e produtiva.

Não negligencie a hora de dormir e acordar

Para ter um dia produtivo, de fato, é essencial cuidar do nosso despertar e do nosso último momento de pé.

Utilizar as primeiras horas da manhã para praticar o ócio produtivo, se exercitar, meditar, fazer uma refeição reforçada, beber um chá, ou fazer qualquer atividade em benefício do próprio corpo e mente te ajudará a se manter mais produtiva durante o restante do dia.

A editora-chefe do The Huffington Post, Arianna Huffington, por exemplo, inicia sua rotina com ioga e meditação. Já Barack Obama, o presidente dos Estados Unidos, começa com atividades físicas e um café da manhã com a família.

Além disso, desacelerar durante a noite também fará uma grande diferença na disposição para o dia seguinte.

E uma boa maneira de organizar os hábitos noturnos é fazer atividades que estejam totalmente desconectadas com a sua rotina de trabalho. Seja ler um livro, fazer uma caminhada ou tomar um banho de banheira.

Mas, em seguida, vá direto para a cama! Nada de conferir demandas do trabalho ou se conectar à internet. Isso porque qualquer tipo de luz — incluindo telas de computadores e smartphones — pode afetar drasticamente a qualidade do seu sono.

Viva um dia após o outro

Para criar uma rotina saudável, também é essencial viver o dia de hoje. Isso significa que manter o foco no que está acontecendo é uma maneira de aumentar a produtividade, a motivação e diminuir a ansiedade sobre o futuro.

Mas não adianta ter uma rotina organizada se você sequer acredita no que faz ou vê os dias passando sem um propósito.

Para “estar presente” na sua rotina e assumir o controle da sua vida, é preciso ter consciência de que somente o hoje existe. Afinal, não dá para garantir ou se preocupar com o que ainda não aconteceu.

Por isso, é essencial manter a qualidade no que se faz e ouvir um pouco mais a si mesma. Nossos corpos, por exemplo, possuem “relógios” naturais, que determinam os momentos em que temos mais disposição para trabalhar, comer ou fazer exercícios.

Mesmo que, muitas vezes, seja difícil encontrar tempo para seguir as vontades do próprio corpo, ainda é possível adaptar algumas atividades. Se você possui mais disposição à noite, por exemplo, pode deixar tarefas mais criativas e importantes para esse período, e para a manhã as atividades simples.

Também é importante fazer pausas, se alimentar corretamente e beber muita água — um corpo saudável precisa de ao menos 2 litros por dia.

E, é claro, fazer atividades prazerosas, que ajudem a sua mente a se reconectar consigo mesma. São essas ações pontuais que farão diferença no futuro!

Coloque sua vida no papel

Agora, você deve estar se perguntando: “de que maneira a escrita se relaciona com o tema desse artigo?“. Na verdade, é bem simples.

De fato, a quantidade de informações que recebemos durante o dia é enorme — de crise econômica a receitas de bolo. E isso torna difícil entender, e lembrar, do que realmente importa: o que é essencial para ter uma vida e uma rotina mais saudáveis.

Nesse sentido, escrever — em vez de digitar tudo no computador ou em um smartphone é uma boa maneira de se envolver diretamente com suas ideias. E melhorar a tomada de decisões, criando um pensamento mais crítico sobre a sua própria vida, insights e metas.

Para o trabalho, uma dica é criar um planner anual ou investir em um bullet journal, para organizar as tarefas diárias de uma maneira mais criativa.

Já no âmbito pessoal, você pode colocar as suas metas em uma Roda da Vida ou manter um journaling — diário pessoal com fatos ocorridos e pensamentos que tiver durante o dia.

De toda forma, essa escrita reflexiva é importante para analisarmos como e por que conseguimos dar conta de algumas atividades tão facilmente, mas vivemos adiando outras. E, principalmente, para filtrar a quantidade de informações inúteis que recebemos todos os dias.

Assim, seremos capazes de direcionar nossos pensamentos e ações para o que realmente vale a pena.

Acompanhe os seus hábitos para entendê-los melhor

Não adianta tentar começar uma dieta ou ir à academia na próxima segunda-feira se você não preparou a sua mente para isso.

Quanto a isso, uma maneira de se estimular a criar uma rotina saudável é estabelecer metas reais, com um prazo, e traçar um plano de ação para alcançá-la. Assim, você não deixa ela se perder diante das atribulações do dia a dia.

Mas isso não funciona se você copiar as dicas de outra pessoa! O mais importante é que você analise os seus hábitos para se entender melhor. E isso exige tempo e esforço.

Ainda assim, entender como você vive o presente é o melhor caminho para direcionar as suas atitudes para o futuro que deseja viver.

Evite se cobrar tanto

Por fim, a pressão de dar conta de tudo pode prejudicar a sua motivação, comprometer a qualidade de execução do que você faz e até mesmo a sua autoconfiança. E, como adiantamos no título desse post, para criar uma rotina saudável é preciso parar!

Principalmente, parar de se cobrar tanto. Isso não é desculpa para procrastinar ou deixar tudo para depois, mas é preciso chegar ao equilíbrio cortando pensamentos tóxicos da rotina — que nem sempre são generosos ou correspondem a sua realidade.

Quanto a isso, alguns dos exemplos mais comuns são: manter sempre a casa impecável, ser a mãe perfeita ou chegar ao sucesso antes dos 30.

Com certeza, esse tipo de cobrança pessoal pode comprometer a sua sanidade mental e, consequentemente, toda a sua vida. Então, trate a sua saúde, o bem-estar e os relacionamentos como prioridades para um 2017 mais feliz!

E aí, o que você tem feito para criar uma rotina mais saudável? Vai colocar essas dicas em prática no próximo ano? Não deixe de comentar este post compartilhando o resultado da sua experiência nos comentários!

4 segredos para cumprir metas de ano novo e ter um 2018 diferente

4 segredos para cumprir metas de ano novo e ter um 2018 diferente

Em janeiro, frequentemente ouvimos das pessoas que elas pretendem emagrecer, aprender um novo idioma ou economizar dinheiro nos próximos doze meses. É menos comum ver algum progresso ter sido feito nessas direções alguns meses depois.

Se identificou com essa situação? Está decidida a mudar isso e cumprir suas metas de ano novo, mas não sabe como fazer isso? Então você veio ao lugar certo! Continue lendo este post e confira algumas dicas para fazer do seu 2018, um ano de mudanças!

1. Definir boas metas de ano novo com a metodologia SMART

Alcançar suas resoluções de ano novo começa com saber definir metas boas e funcionais. Afinal, se você tem apenas uma vaga noção de onde quer chegar, é muito mais difícil descobrir qual é o próximo passo.

Uma boa maneira de estabelecer objetivos que você realmente será capaz de cumprir, é seguir a metodologia SMART. Apesar de ter surgido na área de gestão, essa ferramenta é uma ajuda e tanto para alcançar seus objetivos pessoais.

O termo SMART é uma sigla em inglês para as características que uma boa meta deve ter. Vamos ver um pouco mais sobre cada uma delas a seguir:

Específica (Specific)

Vamos imaginar que uma das suas metas de ano novo seja passar mais tempo com sua família — o que isso significa, exatamente? Como você vai saber se está conseguindo alcançar esse objetivo, ou mesmo por onde começar?

Assim, a primeira característica de uma boa meta é que ela seja específica o bastante para que você consiga traçar um plano de ação a partir dela. Por exemplo, você pode se comprometer a estar presente em todos os grandes eventos de família, almoçar em casa pelo menos uma vez por semana ou deixar o celular de lado durante o jantar.

Mensurável (Mensurable)

Sua meta ser específica o bastante também traz outra vantagem: fica mais fácil mensurá-la e, assim, avaliar se você está realmente se aproximando de alcançá-la. Nos exemplos anteriores, você pode escolher como métricas a porcentagem de eventos a que compareceu, a frequência com que tem almoçado em casa ou quantas vezes se rendeu e olhou o celular à mesa.

Atingível (Attainable)

Algumas pessoas aproveitam o embalo do início do ano para assumir metas bastante ousadas — “esse ano vou correr uma maratona!” ou “esse ano vou ficar fluente em francês!”. Mas, a não ser que você já seja um corredor ou já esteja estudando o idioma, fica difícil se manter entusiasmado o bastante para alcançar esses objetivos depois que os fogos param de estourar no céu e o efeito do espumante passa.

Assim, mais um segredo de uma boa meta, é que ela seja atingível por você com os recursos e conhecimentos de que dispõe. Se você trabalha muito distante de casa e tem um horário de almoço corrido, por exemplo, será difícil conseguir almoçar em casa regularmente. Definir isso como meta só vai servir para te frustrar e te deixar mais longe de alcançar seus objetivos.

Realista (Realistic)

Uma meta atingível não necessariamente é uma meta realista. A diferença é que, no segundo caso, é preciso levar em consideração suas outras prioridades e objetivos. Talvez você até seja capaz de almoçar em casa, mas isso entre em conflito com o objetivo “se aproximar mais dos seus colegas de trabalho, por exemplo.

Assim, escolher uma meta realista está relacionado a ver o quadro geral dos seus objetivos para o novo ano e analisá-lo pragmaticamente.

Temporalmente definida (Time-based)

Por fim, é importante estabelecer um prazo claro para alcançar suas metas. Assim, você cria um senso de urgência que evita que você procrastine, e consegue elaborar um cronograma.

2. Colocar suas metas por escrito

Depois de definir bons objetivos, é hora de colocá-los por escrito. Além de impedir que você se esqueça deles, esse exercício também te ajuda a deixá-los mais claros.

Nesse momento, evite escrever frases em negativa. Por exemplo, em vez de dizer “Não ficarei mais do que uma hora a mais no escritório por dia”, escreva: “Ficarei no máximo uma hora a mais no escritório por dia”. Assim, você evita associar suas metas com sentimentos de negatividade (parece algo banal, mas realmente funciona!).

Além disso, também coloque por escrito um rápido planejamento de como você pretende segui-las. Nele, procure responder perguntas como:

  • Em que momento do dia você vai se esforçar para cumprir essa meta?
  • O que é necessário para isso?
  • O que você vai fazer quando pensar em desistir?

Dessa maneira, você evita perder tempo e motivação lidando com obstáculos para a realização dos seus objetivos quando chegar a hora de cumpri-los. A última pergunta é especialmente importante para te ajudar a se manter dedicada.

Você pode se lembrar dos pontos negativos de desistir, se lembrar do que te motivou a escolher aquele objetivo ou até mesmo fazer uma versão “simplificada” dele. Por exemplo, se sua meta é fazer 40 minutos de caminhada todos os dias, você pode optar por fazer apenas 20 minutos quando estiver prestes a desistir. É melhor diminuir o ritmo do que parar de vez!

3. Dividir suas metas em etapas menores

Outra maneira de se manter motivada para cumprir suas metas de ano novo, é dividi-las em etapas menores. Por exemplo, se você se propôs a aprender a tocar um instrumento, você pode listar desafios menores que te levem a esse objetivo, como:

  • Aprender uma base de teoria musical;
  • Aprender a tocar uma música simples;
  • Se aprofundar um pouco mais em teoria musical;
  • Aprender a tocar uma música mais complexa.

Assim, o objetivo final se torna menos intimidador e você tem uma ideia mais clara de por onde seguir. Além disso, cada etapa vencida te deixará mais motivada para continuar!

Você também pode estabelecer prazos ao longo do ano para cada um desses passos, para que eles estejam presentes na sua vida mesmo depois de a empolgação do ano novo passar.

4. Não confundir a meta com o caminho para alcançá-la

Planejamento é bastante importante para qualquer projeto (e, afinal, as metas de ano novo não são projetos pessoais?), mas flexibilidade, também. Por isso, fique atenta para não se concentrar demais nos passos que decidiu tomar e se esquecer do seu objetivo final.

Por exemplo, vamos supor que você tenha decidido se exercitar por 30 minutos todos os dias e, para isso, tenha escolhido caminhar até o trabalho ou usar as escadas em vez do elevador. Mas você tem que acordar muito cedo para chegar no trabalho a tempo se for andando e morre de preguiça de subir as escadas.

Em vez de insistir em um método que não está te trazendo benefícios, procure alternativas. Lembre-se: seu objetivo é se exercitar, não fazer isso de uma maneira específica. Talvez seja mais interessante procurar outra atividade física, como natação ou pilates, que vai te trazer mais felicidade e te ajudar a se manter firme.

No fundo, as metas de ano novo são reflexões sobre quem somos, quem gostaríamos de ser e como podemos passar por essa transformação. Alcançá-las envolve adquirir novos hábitos e se esforçar, afinal, mudanças nunca são fáceis. Mas a boa notícia é que elas são totalmente possíveis. É só manter o foco, se dedicar e colocar nossas dicas em prática!

Você já definiu suas metas de ano novo? Conte para a gente nos comentários e, se ainda estiver decidindo, confira nosso podcast sobre como fazer isso!

Shares
Share This