9 dicas para juntar dinheiro para abrir um negócio

9 dicas para juntar dinheiro para abrir um negócio

A abertura do próprio negócio necessita de uma estratégia financeira bem elaborada. Para que seja possível alcançar o sucesso em sua jornada, é necessário avaliar os custos, as previsões de investimentos, os gastos com materiais e equipamentos, a contratação de funcionários e diversos outros pontos referentes a abertura de uma empresa. Tão importante quanto saber o valor do investimento é identificar a melhor forma de juntar dinheiro.

Pedir um empréstimo? Recorrer a uma linha de crédito específica? Abrir uma poupança ou uma conta de investimentos? Confira 9 dicas para juntar dinheiro para abrir um negócio:

1. Defina o montante necessário

A primeira dica para que você consiga juntar dinheiro e abrir um negócio é definir o montante necessário. Os detalhes do negócio que você pretende abrir precisam ser esmiuçados. Escolha o nicho de atuação com cuidado, analisando o mercado e encontrando nessa análise o valor necessário para que a abertura de sua empresa seja possível. Seja realista e leve em consideração todos os tipos de gastos a curto, médio e longo prazo. O ideal é que estas informações fiquem armazenadas em uma planilha.

2. Organize-se financeiramente

Antes de começar a juntar dinheiro, você precisa organizar sua vida financeira. Eis algumas atitudes que você pode tomar para alcançar esse objetivo:

  • coloque em uma planilha todas as receitas e, principalmente, despesas e dívidas que possui;
  • em relação às dívidas, trace uma estratégia clara e objetiva com o intuito de saná-las;
  • estabeleça um prazo para que isto ocorra;
  • comece a poupar o mais cedo possível, diminuindo a quantidade de gastos;
  • controle o seu lado consumista e evite os gastos supérfluos, poupando o máximo que puder com o objetivo de atingir a meta proposta.

3. Crie uma conta de investimentos

O seu objetivo é poupar, não é verdade? Para isso, conte com todas as opções possíveis. Vá além da poupança e procure por uma conta de investimentos. A maioria das pessoas desconhece as opções disponíveis no mercado e recorrem, basicamente, a poupança — que um dia já foi boa. O seu gerente bancário pode lhe informar acerca dos investimentos que são disponibilizados pelo banco no qual você tem conta. Caso seja necessário, conte com o conhecimento de um especialista em investimentos.

4. Procure por incubadoras

As incubadoras são os lugares onde as startups são desenvolvidas. Estas são instituições ligadas, geralmente, a universidades e instituições de ensino que apoiam de diversas formas os empreendedores que estão em começo de carreira. Esse tipo de organização estimula a criação e o desenvolvimento das pequenas empresas, para que elas possam crescer e se consolidar no mercado. Nas incubadoras, há espaço físico, infraestrutura, acesso à internet e até assessoria jurídica para que as dúvidas legais possam ser esclarecidas. O auxílio oferecido ajuda a economizar e juntar mais dinheiro.

5. Busque pelas agências de fomento

Existe mais uma opção de fonte de capital: as agências de fomento. Elas são instituições cujo objetivo principal é o de financiar capital fixo e de giro para empreendimentos previstos em programas de desenvolvimento, como: projetos de infraestrutura, profissionais liberais, micro e pequenas empresas. As agências de fomento abrem linhas de crédito com juros baixíssimos ou nulos. Para ter acesso às agências de fomento, o empreendedor precisa ter um certo conhecimento e contato com organizações como Senai, Fapesp, CNPq e agências de amparo à pesquisa.

6. Consulte o seu banco

Por mais que saibamos que os bancos nem sempre oferecem as melhores soluções financeiras para os nossos problemas, sempre vale a pena tentar. Quem pensa em abrir uma franquia, por exemplo, pode buscar por um empréstimo bancário. É muito comum que os bancos tenham linhas de crédito vantajosas para a abertura de franquias e unidades. Quem está começando do zero, como você, pode encontrar uma certa dificuldade no acesso a essas linhas de crédito, mas vale a pena conversar com o gerente daqueles que oferecem soluções específicas para o seu tipo de negócio.

7. Tente atrair investidores externos

Essa prática é muito comum no mercado das startups. Os investimentos vindos do exterior podem ser obtidos quando o negócio já se encontra em um estágio mais maduro, ou seja, com um enorme potencial para crescer.

Digamos que você tenha em mãos uma solução tecnológica que melhora a experiência dos consumidores nas lojas físicas. Você conseguiu desenvolver um protótipo, porém não tem o dinheiro necessário para fazer uma produção em larga escala. Esse estágio do processo, que parece ser inicial, na verdade, reflete maturidade e, diante das provas de que sua solução é boa, os investidores externos podem desejar apostar nela.

8. Mantenha-se na linha

Independentemente da forma encontrada para juntar dinheiro para abrir um negócio, saiba que você precisa se manter na linha. É necessário manter a frequência de depósitos mensais sempre que possível, da mesma maneira que aumentá-la também é uma ideia positiva.

Se esse dinheiro for depositado em uma conta de investimentos, tente fazer com que ele trabalhe ao seu favor. Garanta que os juros façam com que o montante também cresça. Quanto maior for a quantidade poupada, mais rápido você será capaz de realizar o sonho de abrir o seu próprio negócio.

9. Continue juntando dinheiro

Por mais que você consiga abrir o seu negócio, jamais deixe de poupar. A economia de dinheiro serve não apenas para que o empreendimento funcione, mas também para deixá-lo preparado para os momentos de crise. Ela também é útil na realização de investimentos pontuais ao crescimento do negócio, como capacitação da equipe de trabalho, compra de novos equipamentos, ampliação do espaço físico e até a abertura de filiais ou novas unidades.

Depois que o negócio já está aberto e funcionando plenamente, muitos empreendedores acabam deixando de lado a economia de dinheiro. Não cometa esse erro, pois os gastos de forma desordenada apenas prejudicam o desempenho do seu empreendimento. O hábito de economizar é necessário para que você e o seu negócio cresçam juntos, mantendo uma constante evolução.

Tudo preparado para que você comece a juntar dinheiro agora mesmo? Continue seguindo em frente para conseguir abrir um negócio!

Compartilhe esse post em suas redes sociais! Divida com seus colegas, amigos, familiares e demais contatos as dicas acima. 

Já tem alguém empreendendo minha ideia, e agora?

Já tem alguém empreendendo minha ideia, e agora?

“Alguém está empreendendo minha ideia, e agora?” Cada vez mais, esse tipo de questionamento é recorrente. Afinal, o número de pessoas em busca do próprio negócio aumenta a cada estação, sobretudo entre as mulheres. De acordo com o Sebrae, nos últimos 14 anos, o empreendedorismo feminino cresceu 34%.

Apesar de a sua proposta já ter sido colocada em prática, isso não é motivo para desistência, porque, dificilmente, nos dias de hoje, alguém inventaria algo tão exclusivo como a roda, o fogo, a pólvora. O inédito agora é saber se diferenciar da concorrência!

Partindo desse princípio, a sua ideia continua sendo valiosa e, portanto, vale a pena organizá-la e tirá-la do papel. Neste post, vamos de te dar algumas dicas de como isso pode ser feito. Veja!

Mantenha a mente aberta

A palavra “inovação” vem sendo utilizada com certa frequência, principalmente quando o tema envolve empreendedorismo. A princípio, o termo remete apenas àquilo que é completamente novo, ou seja, algo capaz de transformar os costumes antigos.

De fato, algumas investidas deram tão certo que fica quase impossível imaginar o mundo antes delas.

As redes sociais virtuais se encaixam perfeitamente nesse caso, pois elas conseguiram impactar o comportamento das pessoas e ainda mudaram, de forma irreversível, a maneira como elas disseminam e consomem informações. Até mesmo as empresas precisaram se adequar para conquistar o novo público.

O que queremos dizer com isso? Por exemplo, quando o Facebook foi lançado, o Orkut já ganhava popularidade. Ambas as redes se assemelhavam pela proposta de promoção da sociabilidade via internet. Mas, no fim das contas, uma delas deixou de existir e a outra continua atingindo números expressivos.

Por que a primeira sucumbiu, mesmo sendo antecessora? Como foi possível superá-la? Perceba que não é preciso ser 100% inovador, principalmente quando a competitividade no mercado se torna ainda mais acirrada. Afinal, a chance de encontrar alguém implementando algo que você acha que é de sua autoria é grande.

O mais importante quando se tira a ideia do papel é pensar no desafio de superar a concorrência. Se Mark Zuckerberg tivesse desistido porque o Orkut já existia, o Facebook não teria conquistado a posição de maior rede social do mundo.

Estude os concorrentes

Agora que você já sabe da possibilidade de encontrar algo similar às suas concepções, é importante traçarmos o perfil dos opositores.

Pode até parecer repetitivo sugerir esse tipo de atitude, mas, quando não sabemos exatamente como funcionam as suposições, na prática, o melhor jeito de materializar o que queremos é pesquisando as ações dos adversários. Com essa medida, é possível elaborar estratégias pontuais.

Faça perguntas do tipo: há quanto tempo eles estão no mercado? Como eles atraem o consumidor? O atendimento é de qualidade? Estão presentes nas redes sociais? Que plataformas eles utilizam? Há reclamações? Qual é o carro-chefe? Quais são os pontos fortes? Em quais áreas eles deixam de acertar?

Crie um planejamento diferenciado

Depois da análise de mercado, é hora de confrontar os dados para tentar extrair as melhores soluções. Hoje em dia, a atenção para a experiência do usuário é imprescindível, pois o relacionamento conta pontos nos meios offline e online.

Por isso, se você quer apresentar algo novo, mesmo tendo um negócio similar ao de outros, o primeiro ponto a ser verificado é a satisfação do consumidor. Não adianta sair por aí panfletando sem saber para quem o discurso é direcionado. O seu plano deve incluir metodologias que abracem essa questão. Diante disso:

Valorize a qualidade

Com a tecnologia a todo vapor, não é de todo errado que a pessoas pensem em soluções imediatistas e crescimento incontável. Ou seja, muita gente valoriza a quantidade, no entanto, são as particularidades que diferenciam as boas soluções do mercado.

Quantos blogs você encontra por aí? Basta digitar um tema no Google e, rapidamente, surgem inúmeras páginas. Mas em qual deles você clica? Em qual permanece por mais tempo?

Chegamos a um denominador comum: é preciso apresentar algo capaz de sobressair entre os demais. Nesse caso, se a quantidade afetar a qualidade, é melhor se reorganizar para não sofrer com os danos posteriores.

Mantenha a atenção nas tendências de mercado

Se a sua proposta já não é novidade, as suas soluções precisam ser. Quando falamos de tendências, isso engloba tudo. Não se trata só daquilo que tem a ver com a sua área de atuação.

Se você tem uma loja virtual e atua no segmento de moda, por exemplo, a sua atenção deve ser global. Focar vestuário, acessórios e calçados é primordial, porém, se o seu atendimento é online, preocupe-se também com checkout, gestão de logística, cadastro correto dos produtos e imagens convidativas, porque a sua vitrine deve ser atraente, assim como os serviços prestados.

Invista em canais de comunicação

Hoje, o consumidor é ativo, pois está sempre em contato com gente que comprou, experimentou ou vai comprar. As pessoas participam intensamente de grupos para saber da opinião de outros clientes a respeito de determinado produto ou serviço.

Quando você diz para esse potencial cliente que ele pode contar com o seu feedback por e-mail, redes sociais, SAC, chat online e FAQ, está automaticamente conquistando um ponto a mais com esse usuário. Muitos negócios têm alcançado reconhecimento por não se esconderem daqueles que pagam as contas da empresa.

Aposte no marketing de conteúdo

Com essa ferramenta estratégica, você oferece ao seu público conteúdos relevantes, de forma focada. Ou seja, é uma maneira de falar do nicho e apresentar soluções.

Os posts podem ser elaborados para aumentar a visibilidade na internet, melhorar o contato no pós-venda, ganhar autoridade, nutrir leads, diminuir o custo para conquistar clientes e melhorar a interação com a marca. Defina o objetivo e utilize esse recurso para benefício próprio.

Quando alguém se perguntar: “estão empreendendo a minha ideia?”, você já sabe o que fazer: a inovação nem sempre é feita a partir de uma proposta exclusiva, mas também pode ser praticada no intuito de criar mecanismos eficientes para vencer a concorrência.

E aí, o que achou do artigo? Ele foi útil para responder aos seus questionamentos? Conte-nos no campo de comentários!

Como transformar um hobby em negócio?

Como transformar um hobby em negócio?

Quantas vezes você já ouviu a frase “trabalhe com o que ama e não terá que trabalhar um dia sequer”? Tomar as rédeas da sua vida profissional pode ter muitas vantagens, já que você vai ter mais tempo para se dedicar a si mesmo e às pessoas que ama. Além disso, também dá a oportunidade de ver que a vida vai muito além de um escritório estressante, mesmo que às vezes isso signifique ter uma renda menor no início.

Transformar seu hobby em negócio pode ser bastante lucrativo, mas é importante ter alguns cuidados. Você precisa estudar e planejar na hora de empreender para diminuir os riscos, não perder dinheiro ou não deixar um emprego estável à toa. Saiba como implementar sua ideia do jeito certo para não correr riscos.

No post de hoje, vamos te dar algumas dicas para transformar seu hobby em negócio. Confira!

Analise os riscos e as consequências

A primeira coisa a fazer é entender todos os desafios que vai enfrentar no começo do empreendimento. É importante ter planos alternativos para se apoiar em caso de problemas que possam aparecer. Um bom exemplo disso é calcular quanto será investido no negócio e quanto será poupado para não ficar desamparado caso as coisas não deem certo.

Também é muito importante analisar se você está preparado para trabalhar com seu hobby, já que, uma vez que se torne sua fonte de renda, será parte integral da sua vida e você precisará se dedicar a fundo nisso.

Faça uma lista dos prós e contras em abrir seu próprio negócio e abandonar o emprego atual para saber se vale a pena deixar um salário fixo e se arriscar no mercado.

Pesquise o mercado do produto

Avalie o tamanho do mercado, qual a aceitação do seu produto e se existe algum tipo de sazonalidade de vendas. Por exemplo, se seu hobby for trabalhar com doces, existe um pico de vendas na época da Páscoa e do Natal.

Observe o público-alvo do seu produto ou serviço e as possíveis concorrências que vai encontrar. Se possível, faça uma pesquisa com potenciais clientes para entender como funciona seu público e como poderá conquistá-lo.

Com isso, você encontra um posicionamento de preço de venda de acordo com as características do seu produto e seus diferenciais.

Verifique a rentabilidade do seu negócio

Assim que for feito uma análise de mercado e estabelecimento de valores do seu produto, faça uma análise de rentabilidade do seu hobby para planejar financeiramente seu futuro.

Elabore um estudo para saber quanto deve vender para alcançar sua meta de renda por mês. É importante levar em consideração os melhores e piores cenários nessa análise, porque você precisa saber quanto conseguirá faturar no caso de suas vendas não serem maximizadas em um período.

Estruture seu plano de negócios

Após os estudos de mercado e análise de riscos, o ideal é que você monte um planejamento para se preparar financeiramente e começar seu negócio. Além disso, tenha sempre em mente que o começo pode ser difícil e trazer menos renda que seu emprego atual.

O plano de negócios deve ser simples: elabore um planejamento de cinco anos e veja quanto será necessário desembolsar para investir. Assuma os riscos, acredite que seu hobby dará certo e não desanime com as dificuldades.

Ouça a voz da experiência

Conhecer histórias de pessoas que largaram tudo para seguir sua paixão pode ser a melhor maneira de entender que nem tudo serão flores em sua jornada.

Você pode aprender muitas coisas observando as trajetórias, as dificuldades e as conquistas de quem transformou seu hobby em negócio. Esse conhecimento pode servir de guia para os momentos difíceis da sua decisão.

Além disso, esteja sempre disposto a ouvir opiniões de pessoas ao seu redor, especialmente se elas entendem da situação econômica do momento. Mas absorva apenas as informações úteis, pois muitas vezes, devido à preocupação e ao medo, elas podem acabar te influenciando de maneira negativa.

Abuse das redes sociais

A internet é um instrumento muito poderoso na hora de vender seus produtos e vem com a vantagem de, na maioria das vezes, ter um baixo custo de investimento. Então, aproveite!

Monte uma página no Facebook, uma conta no Instagram e outra no Twitter. Poste fotos de tudo que você produz, com informações descritivas e, se possível, seus valores. Intercale com outras curiosidades e informações interessantes para seu público, assim seu perfil não fica cansativo. Além disso, peça para seus amigos compartilharem suas publicações para seu negócio ganhar alcance e visibilidade de outras pessoas.

Mantenha também em suas contas todas as informações possíveis para as pessoas entrarem em contato com você, como telefone, celular, WhatsApp, e-mail e links para outras redes sociais.

Tenha um canal de vendas

Além das redes sociais, caso você venda um produto o ideal é ter uma loja virtual para disseminar melhor seu negócio. Um e-commerce passa uma impressão de qualidade e de confiança.

Defina também como serão feitas as entregas. Você pode utilizar os serviços de transportadoras, dos Correios, motoboys (se o destino final for próximo) ou retirando o produto no local do seu trabalho. Dê alternativas aos clientes, pois isso ajuda na fidelização.

Estude gestão empresarial

Para não meter os pés pelas mãos, é fundamental buscar uma base de conhecimento em gestão de empresas. O estudo nessa área vai te dar base para administrar corretamente seu tempo e o investimento do seu negócio.

Há cursos de graduação para esse aprendizado, mas se essa opção não for viável, a opção é ser autodidata. Mergulhe em textos e videoaulas para aprender os melhores hábitos de gestão.

É importante analisar todos os riscos e dificuldades que serão enfrentados durante o processo de abrir seu próprio negócio, mesmo que o investimento seja na sua paixão. Pense em todas as possibilidades e esteja preparado para ativar os planos alternativos caso algo não dê certo.

No entanto, sempre acredite no potencial do seu produto ou serviço e não desanime na fase inicial, quando o empreendimento ainda não estiver dando o retorno esperado. Lembre-se de que mesmo que um negócio seja menos lucrativo, pode ser mais vantajoso se trouxer mais qualidade de vida e mais tempo para você e para sua família.

Gostou do nosso texto? Está animado para transformar seu hobby em negócio? Deixe seu comentário aqui no post com suas dúvidas ou experiências!

Aula de empreendedorismo: veja como criar um negócio online

Aula de empreendedorismo: veja como criar um negócio online

Quem tem vontade de empreender em nosso país sabe o tanto de burocracia que existe por trás da abertura de uma empresa. Além de capital, tempo disponível e o desejo de ter o próprio negócio, o empreendedor precisa ser bastante paciente com cada uma das etapas referentes à criação de um negócio. Quando este é on-line, por meio de uma loja virtual, algumas pessoas tendem a achar que tudo é muito mais fácil. De certa forma é, por causa da praticidade, mas não se engane com isso.

Montar um negócio online requer planejamento, investimento de tempo e dinheiro, conhecimento e muita análise. Afinal, você não teria coragem de investir o seu suado dinheiro em algo que você desconhece o potencial, não é verdade? No post de hoje, vamos falar sobre empreendimento digital e como você pode fazer para abrir seu negócio on-line. Reunimos abaixo os passos necessários para você transformar esse desejo em realidade.

Quer ter uma aula de empreendedorismo? Continue a leitura e veja como criar um negócio on-line em 5 etapas.

1. Planejamento

Não basta ter capital, desejo de empreender e tempo disponível para criar um negócio on-line. Você precisa também de uma excelente ideia, de conhecimento e principalmente de planejamento para fazer as escolhas certas. Nenhum negócio sobrevive à base de “achismos”, portanto é fundamental estabelecer as diretrizes que vão dar o direcionamento necessário para a empresa virtual que você está criando. O planejamento faz exatamente isto.

Na primeira etapa de criação de um negócio on-line, você deve levantar o máximo possível de informações referentes ao segmento que você pretende atuar, sobre os concorrentes que enfrentará, a respeito dos diferenciais que sua empresa terá e qual é o grande objetivo por trás dessa empreitada no mundo virtual. Aqui, estabelecemos o caminho que você deverá seguir, sempre visando alcançar o objetivo que foi determinado.

Você já sabe o público que deseja alcançar? Já dimensionou se este segmento ou nicho pode trazer um resultado acima do esperado?

2. Conhecimento

Depois de reunir todas as informações que foram coletadas na etapa anterior, chegou o momento de você se tornar especialista no segmento em que pretende atuar. Aproveite essa oportunidade para estudar, conhecer mais sobre o mercado de seu negócio on-line. O aprendizado adquirido nesta etapa trará a certeza de que as decisões tomadas foram ou não assertivas.

Fique de olho em seus concorrentes, estude-os e identifique todos os pontos positivos e negativos deles. Aprenda o que dá certo ou não por meio dos pontos identificados e encontre as oportunidades para que o seu negócio virtual possa se destacar. Antes de encarar o mercado e colocar as mãos na massa, esteja ciente de que suas escolhas foram feitas com base em muito estudo. Assim, você diminui as chances de errar no futuro.

3. Organização

As duas etapas anteriores da criação de um negócio on-line permitiram que você chegasse até aqui com todas as informações necessárias para colocar em prática suas ações planejadas. Esse é o momento em que você determina prazos, estabelece um calendário para a execução das datas e reúne todas as fontes necessárias para que o negócio, finalmente, possa sair do papel. Ser organizada, nesse momento, é fundamental para o sucesso de seu empreendimento.

Aproveite esse momento de organização para checar se nada ficou para trás, como um conjunto de informações, capital necessário, tempo disponível ou mesmo um maior detalhamento sobre a sua ideia. A próxima etapa, onde você vai estabelecer as parcerias, precisará de todos os dados levantados e organizados até aqui para que tudo possa acontecer conforme o esperado. Organize-se para dar o próximo passo.

4. Parcerias

Hora de distribuir as tarefas e firmar as parcerias certas para que o seu negócio on-line possa ir ao ar. O investimento em uma plataforma completa que ofereça todas as especificações que seu empreendimento necessita é fundamental para que ele funcione corretamente, de acordo com suas expectativas. Aqui, cabe a você definir a contratação de uma agência digital, de um programador ou escolher criteriosamente uma solução que já venha pronta.

Um web designer pode lhe ajudar no layout de sua loja virtual, uma vez que ele conhece bem todos os elementos que conseguem envolver os compradores durante a navegação pelo e-commerce. Em parceria com o programador, ele pode preparar o layout de sua loja para ser responsivo, ou seja, estar adaptado aos mais diversos formatos de tela que existem hoje no mercado — de notebooks a smartphones.

Fique atenta também ao tipo de conteúdo que será divulgado em seu negócio on-line. Foque em conteúdo de qualidade, que prenda a atenção do consumidor e esclareça todas as dúvidas que ele possa vir a ter em relação ao produto ou serviço oferecido. Lembre-se que o ambiente virtual é diferente do físico, ou seja, o consumidor tem a necessidade de saber o máximo possível de informações para que possa realizar uma compra consciente.

5. Acompanhamento

Você pensou que tudo acabaria quando o site entrasse no ar? Saiba que ainda temos mais uma etapa. Lembra dos objetivos que você estabeleceu para sua loja virtual? Agora chegou o momento de acompanhar, por meio das métricas, como está o desempenho de seu negócio em relação ao que você definiu lá na etapa de planejamento. Em um e-commerce, tudo pode ser metrificado, ou seja, ser transformado em dados para que você consiga avaliar.

Qual é o índice de satisfação de seus consumidores? Quanto tempo seus clientes permanecem navegando em sua loja? Há mais entregas feitas em dia ou com atraso? Todos os links de seu site estão funcionando corretamente? Estas e outras perguntas precisam ser feitas aqui, pois elas darão o direcionamento necessário para que você possa corrigir o rumo que seu negócio está tomando ou aumentar a velocidade de crescimento.

Com os 5 passos que mostramos nesta aula de empreendedorismo, você consegue transformar o desejo de empreender em realidade.

Se você ainda está no campo dos sonhos e se sente insegura para dar o primeiro passo, nós te recomendamos a leitura do nosso guia para empreender com propósito. Clique aqui e baixe agora este e-book e coloque em prática o seu desejo de empreender!

Sessão pipoca: assista 10 filmes sobre empreendedorismo

Sessão pipoca: assista 10 filmes sobre empreendedorismo

O cinema é uma eterna fonte de inspiração para quem deseja encontrar novos caminhos profissionais e mudanças de vida. Se esses caminhos envolvem a criação de um negócio, os filmes sobre empreendedorismo podem trazer valiosas lições para superar o medo e a dificuldade que esse momento traz. Se você quer se tornar um empreendedor de sucesso, reunimos 10 filmes inspiradores que te ajudarão a trilhar uma jornada de sucesso. Confira!

1. A Rede Social, 2010

Esse é um dos filmes sobre empreendedorismo mais indicados por donos de startups que construíram um negócio de sucesso. E não é à toa. O indicado ao Oscar de “melhor filme” segue a história da criação da maior rede social de todos os tempos: o Facebook. Dificuldades, processos judiciais e os “insights” tidos por Mark Zuckerberg e seus sócios, tudo é narrado neste filme. Com ele o empreendedor entenderá toda a ética e responsabilidade envolvida na criação de um negócio inovador e como tirar planos do papel pode mudar não apenas a sua vida, mas a história de toda a humanidade.

2. Chef, 2014

Como um profissional com um emprego bem-sucedido pode seguir o sonho de ter um negócio próprio? O filme Chef te mostrará. Lançado em 2014, a trama conta a trajetória de Carl Casper, um renomado chef de cozinha que sofre um ataque de raiva, depois de ter suas ideias barradas por um intransigente dono de restaurante. Com isso, ele é demitido — o que o motiva a criar um food truck para sobreviver. Para quem está pensando em uma mudança de carreira, o filme traz a receita ideal de criatividade, bom humor e coragem — necessária para qualquer profissional que deseja recomeçar.

3. A Teoria de Tudo, 2014

Superação é uma das principais palavras no dicionário de todos os empreendedores e essa é a lição trazida em a Teoria de Tudo, lançado em 2014. Baseado na biografia do astrofísico Stephen Hawking e sua luta para superar a esclerose lateral amiotrófica, o filme mostra os seus primeiros anos de faculdade, o relacionamento com Jane Wide e a luta para construir uma carreira de sucesso diante de uma doença degenerativa. Com essa obra, também indicada ao Oscar, o empreendedor descobrirá como nunca deixar a sua paixão morrer, mesmo diante dos piores obstáculos.

4. Joy, 2015

Joy é uma mulher que vive cercada pelas dificuldades financeiras e utiliza uma ideia simples — um esfregão que facilita o processo de limpeza das donas de casa — para criar um negócio milionário. O filme é uma lição de empreendedorismo ao retratar o poder de ideias simples e funcionais na construção de um empreendimento. Quem está começando um negócio do zero, e não conta com o apoio sequer dos familiares, encontrará nos desafios e percalços enfrentados por essa mulher inspiradora o impulso necessário para não desistir.

5. Coco Antes de Chanel, 2009

Gabrielle Bonheur foi um ser humano muito à frente do seu tempo. Seu principal legado foi uma marca de roupas que, além de uma das mais bem-sucedidas do mundo, libertou as mulheres dos espartilhos e das convenções sociais dos anos 20: a Chanel. Mas quem pensa que a estilista nasceu em “berço de ouro” ou não enfrentou qualquer dificuldade para transformar os seus croquis em realidade precisa assistir Coco Antes de Chanel. O filme retrata a infância pobre, as tentativas de sobreviver nas ruas de Paris, as dificuldades em se adequar ao seu tempo e o processo de criação de um dos maiores impérios da moda, que sobrevive até hoje.

6. Jerry Maguire – A Grande Virada, 1996

Seu sonho de se tornar empreendedor é provocado pela insatisfação com a carreira? Então Jerry Maguire é um dos filmes sobre empreendedorismo mais indicados para você. O protagonista da história é um dos melhores agentes esportivos do país, mas sai do emprego após questionar o andamento e ética de sua carreira. O filme mostra a dificuldade enfrentada por quem deseja recomeçar no mercado de trabalho, a importância de manter contatos profissionais e, principalmente, de acreditar em si mesmo.

7. Piratas do Vale do Silício, 1999

Os fãs de tecnologia sabem que não há maior rivalidade no mundo empresarial do que a entre Apple X Microsoft. E é o mote dessa disputa que dá vida ao roteiro de Piratas do Vale do Silício. O filme acompanha todo o nascimento da informática e dos computadores nos anos 70 e a eterna competição entre os criadores das maiores empresas do mundo: Bill Gates e Steve Jobs. Para os empreendedores, a trama traz valiosas lições sobre a importância de inovar para superar os desafios — principalmente os trazidos pela concorrência.

8. Walt antes do Mickey, 2014

Você provavelmente já ouviu falar em Walt Disney, o “mago” do mundo infantil, que trouxe magia e alegria para a vida de milhares de pessoas ao redor do mundo, com clássicos como Branca de Neve, O Rei Leão e Aladdin. Mas o que poucas pessoas conhecem é a história real do famoso criador do Mickey Mouse até chegar ao sucesso. Walt antes do Mickey retrata desde a sua infância na fazenda até a busca pelo sonho de ser animador na cidade grande. Esse é um dos filmes sobre empreendedorismo mais indicados para quem já tem um negócio, pois retrata a importância do networking, da organização financeira, da criatividade e da paciência na busca pelo crescimento.

9. O Óleo de Lorenzo, 1992

O Óleo de Lorenzo é um dos clássicos filmes de Sessão da Tarde que ganhou os telespectadores ao retratar a emocionante história real de um casal comum que decide encontrar sozinhos a cura para uma doença que causa a degeneração cerebral do seu filho de seis anos. Mesmo sem uma relação visível com o empreendedorismo, o filme traça um quadro interessante sobre a importância de se capacitar e persistir para buscar aquilo que acredita, mesmo quando todos já desistiram.

10. The Commitments – Loucos pela Fama, 1991

Jimmy Rabbite é um jovem de 21 anos que sonha em se tornar um empreendedor da soul music em Dublin, na Irlanda. Para isso, ele resolve formar uma banda improvisada com músicos sem experiência chamada “The Commitments”. Para os empreendedores, o filme traz importantes alertas sobre a necessidade do planejamento e do trabalho em equipe para a construção de um negócio sólido em um mercado que não aceita amadores. E você, já conhecia algum desses filmes? Quer começar a empreender? Então, não deixe de acompanhar as nossas dicas para parar de perder tempo e começar a tirar os seus sonhos do papel!

Método Canvas: o que é isso e como ele pode ajudar meu negócio?

Método Canvas: o que é isso e como ele pode ajudar meu negócio?

Todo empreendedor imagina o seu negócio pautado no sucesso, mesmo que a vitória seja um caminho longo e, muitas vezes, tortuoso. Isso acontece porque o fato de que alcançar os seus objetivos causa uma satisfação indescritível.

Embora a emoção seja uma parte importante, ela deve ser trabalhada com bastante atenção para que a administração do empreendimento não fuja dos princípios básicos da empresa. E é aí que entra o método Canvas. Além de manter a proatividade, essa estratégia ajuda o negócio a ter clareza sobre como entregar valor para o cliente.

Ficou interessada? Então continue lendo este post, pois ele é um guia com as principais informações relacionadas ao método Canvas. Nos próximos parágrafos, você vai aprender a implantá-lo na sua empresa e a alcançar o sucesso. Confira:

O que é o método Canvas?

O método Canvas (originalmente intitulado de Business Model Canvas) é uma forma prática e ágil de visualizar um negócio em apenas 1 quadro — seja uma folha de papel ou um aplicativo de edição. Ele é baseado em 9 elementos fundamentais para o funcionamento do negócio, que são:

  • segmentos de clientes;
  • proposta de valor;
  • canais;
  • relacionamento com os clientes;
  • fontes de receitas;
  • recursos principais;
  • atividades chaves;
  • principais parcerias;
  • e estrutura de custos.

Trata-se, portanto, de um mapa visual elaborado para perceber se cada um dos pilares do negócio estão tendo a devida atenção, já que o método é um padrão capaz de oferecer uma visão prática da formatação do modelo.

Em tese, é uma ferramenta estratégica de gestão de negócios e de implantação de novas frentes, desde que conte com um planejamento para evitar desvios no meio do caminho.

Esses elementos, juntos, são capazes de identificar e de aprimorar o relacionamento nas 4 principais áreas de um negócio:

  • clientes;
  • oferta;
  • infraestrutura;
  • e viabilidade financeira.

Por ser um modelo extremamente visual, é importante utilizar cores e marcadores, apenas tomando cuidado para não poluir o quadro e perder o foco daquilo que é realmente essencial. Quando bem utilizado, é uma excelente ferramenta para o planejamento do negócio junto a sua equipe.

Veja um exemplo ca ferramenta preenchida:

método canvas

Por que é importante implementar o método Canvas?

Na prática, um modelo de negócio descreve a lógica de funcionamento do negócio: qual a oferta de valor, como entrega e como gera receita a partir dessa oferta. Em resumo, entende o funcionamento da empresa e a necessidade dessa mesma empresa no mercado em que se propõe atuar.

Com o Canvas, você pode inovar naquilo que já faz e buscar novas frentes caso entenda necessário. Esse modelo possibilita que você seja o melhor, entregue mais valor e, consequentemente, se destaque da concorrência.

Se tiver clareza do que está fazendo — e essa é a proposta do modelo Canvas —, você poderá lançar novos produtos e atuar em outros mercados, sem medo de se perder no caminho, pois ainda terá uma gestão bem elaborada.

Como o método Canvas funciona?

Em outras ferramentas de negócios é preciso uma descrição longa e detalhada de cada elemento, o que dificulta a leitura com praticidade e agilidade. Isso sem falar nas mudanças frequentes que atrapalham a atualização de modelos mais complexos.

O Canvas funciona como resposta para as mais diversas perguntas sobre os elementos citados acima:

  • como vou trabalhar no meu negócio?;
  • qual é a atividade-chave do meu empreendimento?;
  • quais são os recursos-chave da minha empresa?;
  • onde está a minha rede de parceiros?.

Assim, você terá respostas sobre as atividades mais importantes a serem trabalhadas, os recursos necessários para a criação de valor ao cliente e a aliança de negócios que aprimora as relações e alavanca o crescimento da empresa.

Outras perguntas que o Canvas responde é sobre o que você vende, ou seja, quais os produtos e serviços oferecidos e qual é a proposição de valor de cada um. Essa última questão nos leva à descrição do diferencial da empresa perante a concorrência e a razão pela qual um cliente compra da empresa A, e não da empresa B.

Ainda dentro dos segmentos, o método Canvas responde a pergunta sobre demanda e necessidade, ou seja:

  • para quem?;
  • existe demanda?;
  • existe um público-alvo bem definido?;
  • o marketing está compreendido no meio em que a empresa entrega valor?;
  • quais são os canais de publicidade que a empresa utiliza?;
  • como está o relacionamento entre a empresa e o cliente? .

Por fim, existe a busca pela resposta do retorno:

  • quanto?;
  • será que o negócio está compensando o trabalho e a energia dispensada?.

Basicamente, esse momento se refere à estrutura de custos e ao fluxo de receitas. Na prática, é uma balança que pende para a diminuição dos custos e ao aumento da receita.

Por isso é fundamental entender quais são as consequências do custo na gestão total e na forma como a empresa retém e consegue mais recursos financeiros. “Quais são os rendimentos e de onde eles vêm?” A mesma pergunta deve ser feita com relação aos gastos.

Como aplicar o método Canvas na sua empresa?

O quadro deve ter 9 campos, um para cada elemento que faz parte do modelo. O ideal é fazer em uma folha A3, mas você pode desenhar ou imprimir o esquema em um espaço maior, como uma cartolina.

Escreva cada pilar do modelo de negócios em um quadrado e utilize a diferenciação de cores para aprimorar a experiência visual.

Todos os colaboradores devem ter contato com o modelo, pois uma empresa deve estar alinhada no mesmo objetivo.

Explique para os interessados cada detalhe para facilitar a compreensão e melhorar o relacionamento entre os fatores que permitem o funcionamento de um negócio.

Antes de qualquer decisão, é preciso preparar a sua empresa para o sucesso, e esse é o papel do método Canvas. Como você pode perceber, não é uma varinha mágica que vai realizar todos os seus planos, mas será uma espécie de bússola que vai te ajudar a notar o que está funcionando bem e o que não está trabalhando a favor do seu empreendimento.

O método Canvas é uma forma de ter o controle total da sua empresa e de tomar decisões coerentes com as suas necessidades e com os seus objetivos. Comece bem e, se precisar, ajeite-se no caminho — mas nunca deixe de “chegar lá” simplesmente por desconhecer a rota.

Vale lembrar que também existe uma ferramenta que segue o mesmo modelo Canvas, mas é direcionada para o planejamento da carreira (confira aqui).

Agora que você já conhece o método Canvas, o seu funcionamento e a importância da sua implantação, compartilhe este post nas suas redes sociais!