Dilema: preciso tomar decisões importantes e não sei por onde começar.

De vez em quando somos bloqueadas por uma situação assim, não é verdade? Elas são tão cruéis que exigem respostas definitivas e imediatas, nos deixando nervosas, agoniadas e extremamente ansiosas. Antes de qualquer coisa, acalme-se. Eu entendo a sua situação.

É difícil tomar uma decisão que pode envolver grandes mudanças em nossas vidas. No momento em que ela surge, somos tomadas por várias dúvidas. Mas, como tudo na vida, há uma solução para fazer as escolhas importantes sem se martirizar.

Aprenda a tomar decisões ao fazer escolhas importantes com as dicas a seguir.

1. Mantenha os dois pés no chão

Seja realista e encare os fatos na hora de tomar uma decisão. Isso diminui a chance de se frustrar depois. Mantenha o otimismo e evite criar expectativas mirabolantes. Para isso, leve em consideração suas experiências de vida.

Vá para um lugar tranquilo e pense em tudo que deu certo e errado, considerando diversas possibilidades. Aproveite para deixar suas emoções e intuições aflorarem nesse momento de decisão, tendo o devido cuidado de não se desprender da realidade.

2. Encare a situação e identifique opções

Independentemente da decisão que precisa tomar, é fundamental que você olhe para a situação a partir de diferentes pontos de vista. O objetivo é identificar as diversas opções disponíveis.

Para facilitar o seu processo de tomada de decisão, pegue uma folha de papel e faça nela uma lista de todos os pontos positivos e negativos acerca da sua situação. Depois de escrevê-los, imagine as possibilidades que podem existir a partir do cruzamento deles.

3. Busque o máximo de informações

Por trás de uma tomada de decisão pode aparecer a insegurança, que surge do medo daquilo que é novo. Isso é normal, ok? Só não é saudável que deixemos esse sentimento tomar conta de nossas mentes e decidir por nós o que é melhor para as nossas vidas.

Se você estiver com medo, busque o máximo de informações sobre a decisão que você pretende tomar. Esses dados servirão de suporte para que você decida com base em fatos, não somente em emoções.

4. Conheça as suas capacidades

Cada pessoa tem suas características, que as tornam única no mundo. Você sabe quais são as suas? A partir do momento que você conseguir enxergar o seu potencial, isso poderá ajudá-la a desenvolver a autoconfiança necessária para tomar suas decisões.

A autoconfiança é adquirida quando você conhece todas as suas habilidades, sabe quais são os seus pontos fortes e aqueles que necessitam de aprimoramento. Isso se torna possível quando você investe em autoconhecimento.

5. Controle a impulsividade

Dar passos sem ver e falar palavras sem medir: agir com impulsividade pode trazer arrependimentos. Na hora de tomar decisões, coloque todo o seu empenho em frear seu lado impulsivo para conseguir se relacionar de maneira mais tranquila consigo.

Dessa forma, analise quais serão as consequências das suas ações. Antes de decidir, descanse e coloque na sua mente a seguinte frase: “preciso pensar melhor”. Com a cabeça fria, sem pressões e com aquela lista de prós e contras, tudo se tornará mais simples e fácil de resolver.

Tenha em mente que o controle da impulsividade é um esforço que leva tempo, mas que, ao ver os primeiros resultados, você notará que esse trabalho vale a pena.

6. Tenha um plano alternativo

Nós sabemos que a vida é imprevisível, não é verdade? Por isso é importante que as suas decisões sejam tomadas considerando as adversidades que podem surgir pelo caminho. Antecipe-se aos possíveis obstáculos.

Para que você esteja segura das suas escolhas, tenha um ou mais planos alternativos. Lembra-se das possibilidades que listamos a alguns tópicos atrás? Considere-as e tenha em mente um modo de seguir em frente caso as coisas não saiam como o esperado.

7. Filtre as opiniões alheias

Quando nós precisamos tomar uma decisão importante e compartilhamos isso com amigos e familiares, é muito comum que surja e o famoso “conselho”, seguido de um “no seu lugar, eu faria”. Ouvir as opiniões dos outros é importante, mas é fundamental saber filtrá-las.

Conversar com as pessoas sobre as nossas decisões nos ajuda a externar o dilema que existe dentro de nós, bem como discutir as possibilidades. Quando isso é feito em uma conversa normal, em voz alta, facilita a análise da situação.

O fato é que alguns fatores que pesam para os outros talvez não sejam os mesmos que você levaria em consideração. Afinal, o que faz bem para alguém pode não ser interessante para você. Ouça cada opinião construtiva com atenção, mas lembre-se de que no fim é você que lidará com o resultado de sua decisão.

8. Olhe para o futuro

Se a decisão que tiver que tomar significa uma mudança drástica em sua vida, tente não se prender somente ao passado. Olhe para o futuro! Deixar de seguir em frente por causa de um pensamento destrutivo que diz que você está jogando algo construído fora é uma grande cilada.

Culpe-se menos pelo passado e pense na decisão sem considerá-lo como o único fator de peso. Raciocine com lógica e, diante de um dilema que envolva o que passou, considere também a possibilidade de corrigir as coisas no futuro.

9. Respeite o seu tempo

Não seja impulsiva! Você não precisa decidir agora. Normalmente, alguns dias são suficientes para que você consiga organizar todas as suas ideias e argumentos acerca da escolha. Esse tempo é necessário para tomar uma boa decisão.

Durante o dia, aproveite para refletir, pesquisar, buscar ajuda com um amigo ou familiar, conversar com a sua terapeuta ou simplesmente se distrair. É durante a noite, no sono, que o seu subconsciente será capaz de reavaliar tudo o que foi visto durante o dia.

Depois de alguns dias, a análise de sua decisão será mais profunda.

10. Não olhe a decisão como um todo

É muito difícil avaliar uma situação por cima, sem a profundidade devida. Por isso, evite olhar a decisão como um todo. Se necessário, divida-a em pequenas partes para olhar cada uma delas.

Dessa forma, torna-se possível considerar de maneira mais prática todos os prós e contras que essa decisão tem. Isso facilita bastante a sua escolha.

Preparada para tomar decisões?

Assine a nossa newsletter e receba em seu e-mail mais conteúdos como este, que enriquecem ainda mais o seu lado pessoal e profissional.

Shares
Share This