Todos os dias, ao levantarmos da cama, lidamos com uma série de coisas a fazer. Elas vão das mais simples, como arrumar o lençol, às mais complexas, como lidar com as obrigações sociais e a vida profissional. Alguns dias parecem ser mais tranquilos, enquanto outros não. Nesse vai e vem de nossas rotinas, não é raro que nos encontremos sobrecarregadas, exaustas e estressadas. Seria isso algo “normal”? Com toda certeza, não!

O fato é que isso acontece, principalmente, quando nós não desempenhamos adequadamente os papéis que deveríamos assumir com excelência. É o que chamamos de “estar em segundo plano”. Pare e analise: qual é o papel que você desempenha em sua própria vida? É o de protagonista ou de coadjuvante? Estamos acostumadas a lidar bem com os sentimentos dos outros, mas o mesmo não acontece quando se trata dos nossos. Falta amor próprio.

Quer dar o passo fundamental para o seu sucesso? Saiba tudo sobre amor próprio nos tópicos a seguir.

1. Saiba por que o amor próprio é importante

Gustavo Santoslife coach português, define o amor próprio como “o caminho dos não-egoístas”. Em um primeiro momento, essa definição pode confundir nossa mente. Desde pequenos, nós somos habituados a encarar o amor próprio como algo ruim, associado ao egoísmo. O “certo” seria ceder sempre ao que os outros querem, necessitam e nos solicitam. Em muitos casos, crescemos ocupando um papel de segundo plano em nossas vidas. É assim que deixamos de aprender a dizer “não” para as situações que não nos agradam.

Santos vai além em sua definição de amor próprio. Ele diz que nos amamos quando perdoamos os demais que nos magoam; quando aceitamos o que não controlamos; quando transformamos o mau em bom; e quando adquirimos a habilidade de nos colocar no lugar dos outros. Resumidamente, precisamos estar alinhados com a nossa essência para ter a destreza que nos permite pensar nos demais, sendo com eles o que somos conosco.

É necessário que sejamos assim, pois o contrário (ser com os demais o que não somos conosco ou dando a eles o que não nos damos) nos leva sempre a esperar algo em troca, ou seja, nos torna egoístas. Dessa forma, passamos a agir sempre pensando em nós mesmos, no que queremos e esperamos dos outros. Você percebe como o amor próprio é muito diferente do egoísmo? O amor próprio permite que, estando bem conosco, nós consigamos estabelecer uma excelente relação com os demais, oferecendo o máximo do que temos de bom.

Sendo assim, podemos considerar o amor próprio como algo extremamente importante para qualquer indivíduo. E você? Se ama como deveria? A ideia de “se amar” soa, às vezes, como algo clichê. Lembre-se: nós aprendemos desde cedo a encarar o amor próprio dessa forma. O fato é que, se você tem uma visão negativa de si próprio, como você espera que seja a visão das outras pessoas?

Uma vida sem amor próprio tem consequências. A falta dele faz com que estejamos abertos a sentimentos indesejados, como a insegurança. Tudo piora ainda mais quando ela evolui para o medo, levando nossa autoestima para o patamar mais baixo de todos, nos deixando completamente frágeis emocionalmente. É dessa forma que nossos sonhos e objetivos acabam sendo prejudicados.

No âmbito profissional, passamos a questionar nossa capacidade intelectual. Estamos prontos para encarar um novo desafio? Somos capazes de assumir um negócio próprio? As dúvidas surgem e, por vezes, nos consideramos incapazes de encarar o novo, optando por ficar em uma zona de segurança imaginária — mais popularmente conhecida como “zona de conforto”.

Sim, as pessoas preferem ficar na zona de conforto a aceitar a vivência em uma novidade. Isso ocorre por puro e simples medo de não conseguirem fazer o que deve ser feito, de serem superadas por outras pessoas ou por receio de não serem capazes de se adaptar à nova função. Note como o medo e a insegurança se fazem presentes aqui. Percebeu como eles são traiçoeiros e conseguem traçar pautas em nossas vidas? Supere-os com muito amor próprio!

2. Servir com amor traz sucesso ao negócio. Entenda!

Existe uma enorme diferença entre fazer algo com amor e sem ele. Com amor, nos dedicamos e damos o máximo de nós mesmos. Deepak Chopra, médico indiano e autor de livros de autoajuda, define “amar” e “servir” como os dois ingredientes básicos para que o sucesso possa chegar a um negócio. Fica o questionamento: como tornar isso possível?

Chopra acredita que as organizações precisam ser mais humanizadas, menos automáticas e robóticas. Isso não tem a ver com tecnologia, ok? Seu negócio pode ser muito moderno, porém as relações que existem dentro dele precisam ser valorizadas. Relações humanas de qualidade, segundo Chopra, acionam uma cadeia de satisfação. Veja como:

  • Clientes satisfeitos são mais felizes;
  • A felicidade deles é resultado do bom trabalho da equipe;
  • O bom trabalho da equipe promove as ações da gerência; e
  • As ações da gerência são valorizadas pelos investidores ou o empreendedor.

Você pode ler e reler essa cadeia de satisfação nos dois sentidos, pois ela funcionará das duas maneiras. Para que ela seja possível, o autor indiano diz que as organizações precisam lidar melhor com o conceito da “atenção plena”, ou seja, valorizar mais as pessoas que fazem parte do seu dia a dia no trabalho. Por meio de ações que envolvam atenção e afeto, os colaboradores conseguem assimilar melhor as mensagens que a organização precisa transmitir.

Quer saber como colocar isso em prática? Veja o passo a passo:

2.1 Seja um bom observador

Observar é uma forma de aprender. Comece a prestar mais atenção no clima da organização, na maneira como os colaboradores, fornecedores e clientes se comportam. Aprenda a interpretar os sinais emitidos pela linguagem corporal. Dessa forma, será possível pensar, planejar e estruturar todas as ações necessárias que visam à melhoria do negócio em si.

2.2 Use a inteligência emocional

A comunicação eficaz funciona quando há empatia entre as partes envolvidas. Você lembra-se do que falamos no começo deste texto? Quando temos amor próprio, conseguimos nos colocar no lugar dos outros. Isso é essencial para que nos tornemos bons observadores. Coloque-se no lugar de seus colaboradores, clientes e fornecedores para conseguir melhorar a relação entre todos com a companhia.

2.3 Enxergue as necessidades dos outros

A consequência natural das duas ações anteriores resulta nesta. Quem sabe observar e ouvir consegue enxergar as necessidades dos outros. São nessas necessidades que, como uma pessoa de negócios, você encontrará as oportunidades certas para sua empresa. A partir de agora, o segredo gira em torno de como você conseguirá atender essas demandas. Tudo ficou mais claro, não é verdade?

2.4 Acompanhe os resultados

Depois que você pensou, planejou, estruturou e colocou as ações em prática, será necessário acompanhar de perto os resultados. Monitore o andamento de cada uma das ações, pois isso é fundamental na detecção e correção de erros, assim como na valorização do que está funcionando corretamente. Sem um acompanhamento, torna-se impossível dimensionar com precisão o impacto de suas ações.

2.5 Seja autoconfiante

Como líder de uma organização, você precisa dar o exemplo ao seu time de trabalho (equipe, fornecedores e até mesmo os clientes). Demonstre força e energia para continuar seguindo adiante. Cuide mais de sua saúde, tanto a física quando a mental. Empodere-se, saiba que você tem direitos e deveres, assim como um espaço para crescer e colocar suas ideias em prática.

2.6 Aceite a própria realidade

Sabe aquelas pessoas que valorizam “ter” em vez de “ser”? Elas preferem fazer dívidas astronômicas para ter algo e demonstrar que têm, do que aceitar a própria realidade e serem felizes. Se o seu negócio ainda é pequeno, valorize isso também! Aproveite as oportunidades que lhe são dadas, como a possibilidade de nutrir uma relação muito próxima com cada colaborador e cliente.

2.7 Prepare-se para avançar ainda mais

Não pare por aqui! O conhecimento é um dos poucos bens que nós temos e que ninguém consegue extrair sem que queiramos. Estude, pesquise e coloque em prática algumas ideias. Entenda que a sorte é somente o encontro de uma oportunidade com o preparo de alguém. Prepare-se, portanto, para avançar ainda mais.

3. Aprenda como aumentar o amor próprio

Nos tópicos anteriores, conseguimos entender a importância do amor próprio não somente em nossas vidas pessoais, mas também em relação ao mundo dos negócios. Quando servimos com amor, conseguimos dar o máximo de nossos esforços em prol de metas e objetivos traçados.

3.1 Analise sua própria vida

Esse é o primeiro passo necessário para que você consiga aumentar o amor próprio. Todo o pessimismo e a falta de crença em si deverão ser deixados de lado nessa etapa, pois você precisa refletir sobre si. Você se sente satisfeito com o emprego que tem? Está contente com a quantidade de horas disponível para dedicar à sua família? Quais são as atitudes em si que você gostaria de mudar? Comece refletindo sobre essas questões.

3.2 Crie um ritual de amor próprio

Encontre um tempo para fazer algo que você gosta, de preferência sozinho — pode ser 5, 10 ou 15 minutos. Durante este tempo, concentre-se em atividades que lhe dão prazer. Pode ser a leitura de um livro, cuidar do seu corpo, respirar profundamente em um lugar aberto e ao ar livre, organizar suas roupas ou simplesmente não fazer nada. Transforme isso em um ritual, algo frequente. Entenda esse momento como sendo seu, de mais ninguém.

3.3 Participe mais ativamente de sua comunidade

Além de ter um tempo para si, participe de atividades com outras pessoas que partilham dos mesmos gostos que você. Gosta de fotografar? Em redes sociais como o Instagram e em parques é possível conhecer diversas pessoas que podem lhe dar dicas e conversar sobre o assunto. Gostos em comum podem promover o cultivo de novas amizades. Cercar-se de pessoas que dividem com você o mesmo prazer é extremamente positivo, pois a energia que emana do grupo é contagiante.

3.4 Elabore uma lista com coisas boas

Se você estiver se sentindo triste ou se pegar em um momento de tristeza, supere-o com esta dica. Lembre-se do que houve no passado, pense nos momentos bons e prazerosos que você já viveu até hoje. Escreva sobre essas coisas boas, elaborando uma lista. Faça um telefonema para alguém que você ama, dê bom dia e pratique a gratidão. Leia o que você escreveu e reconheça que sim, você é feliz!

3.5 Absorva boas energias

O nosso corpo é como se fosse um templo para a alma. Ele guarda as cicatrizes dos tempos difíceis, nos mostra como evoluímos ao longo dos anos e reflete o nosso estado emocional. Para que ele continue sendo um bom templo, precisamos cuidar bem dele. Melhore a sua energia pessoal, guardando para si apenas os bons sentimentos. Livre-se daqueles que não são úteis para o seu crescimento, como a inveja e o rancor.

3.6 Livre-se do que não lhe serve mais

Alguns objetos são capazes de nos transportar mentalmente para momentos e situações passadas. Faça uma limpeza em seu armário e doe as roupas que você não usa mais. Libere espaço para que outras novas possam chegar. Faça o mesmo com sua estante de livros, objetos pessoais e outras coisas que estão em sua casa. Ao deixar para trás o que não lhe serve mais, você abre sua mente para novas oportunidades.

3.7 Pare de se comparar com os outros

Lembre-se de sua infância, quando você queria fazer algo — geralmente por influência dos seus amiguinhos — e sua mãe bradava: “você não é todo mundo”! Ela sempre teve razão. Você é uma pessoa única, com suas qualidades e defeitos, assim como todas as outras são. Nós sabemos que é muito difícil deixar de se comparar com os demais, porém experimente tentar controlar esse impulso.

Nas redes sociais, por exemplo, é muito comum que as pessoas postem somente coisas boas a respeito de si. Isso leva os demais a enxergarem como alguém está plenamente feliz. O fato é que a realidade pode ser outra e vocês dois talvez não estejam satisfeitos com suas vidas. Em vez de se martirizar pelo que o outro tem ou deixa de ter, foque somente em sua vida. Abandone o negativismo e dê espaço para a gratidão.

3.8 Dê vazão a sua espiritualidade

Independentemente do que você acredita, a certeza é uma só: a fé torna-se base para o amor próprio. Se você gostaria de praticar uma religião, explorar o seu interior e discutir com outras pessoas sobre o sentido da vida, vá em frente! A fé nos ajuda a tomar decisões, pois leva cada pessoa a refletir internamente sobre as questões que estão a sua volta. As consequências são novos sentimentos e aprendizados.

3.9 Coloque em prática os seus hobbies

Faça algo em que você é bom! Invista nisso! Busque maneiras de aprimorar suas técnicas, aprenda com outras pessoas e vá estudar sobre o seu hobby — afinal, ele lhe proporciona prazer. Ao colocar em prática o que gosta, você sentirá mais orgulho de si por causa dos resultados alcançados. Aprender é algo tão bom e positivo, não é verdade? Imagine-se como um expert no que você tem prazer em fazer. Vá fundo! Siga adiante!

3.10 Encontre um lugar que te deixa feliz

Pare e reflita: qual é o seu lugar favorito para descansar e esquecer-se dos problemas? Pensou? Tem uma resposta? Comece a frequentá-lo mais vezes. Se esse lugar lhe deixa confortável e em tranquilidade, entenda-o como um refúgio para esvaziar a mente e renovar as ideias. Esse tipo de lugar permite que você consiga fazer uma reflexão interna, conectando mente e corpo em um total relaxamento.

3.11 Aprenda a desapegar do passado

As experiências do passado são muito importantes, pois elas ajudaram a construir quem somos hoje em dia. Apesar disso, faz-se necessário o desapego, pois não podemos viver em torno a essas experiências. O que passou, passou! Antes, você, talvez, não conseguia fazer algo — o mesmo já não podemos dizer sobre hoje. Desapegue do passado, pois ele pode pesar em sua mente. Quando isso ocorre, torna-se um dos pilares para a baixo autoestima.

3.12 Diminua o nível de autocrítica

Pare de ser duro demais consigo! A autocrítica é muito comum em pessoas que não têm amor próprio. Isso significa que você precisa evitá-la. Entenda que tudo na vida tem duas possibilidades: dar certo ou não. Se não deu certo agora, dará mais adiante. Esforce-se para isso e aprenda a lidar com a frustração. É dessa forma que você vai entender seus limites e se amar mais.

3.13 Estabeleça metas para realizar seus sonhos

Tendo em vista tudo o que deixa você mais feliz, comece a organizar melhor sua rotinaSeus sonhos podem se transformar em objetivos, ou seja, algo tangível. Para alcançá-los, estabeleça metas curtas e acompanhe sua evolução. O prazer em realizar cada uma delas e se aproximar de seus sonhos é extremamente prazeroso. Essa sensação de recompensa age como fator positivo em seu amor próprio, nutrindo-o.

3.14 Busque o autoconhecimento

Essa é a nossa última dica para que você consiga aumentar o amor próprio. Sobre ela, nós vamos conversar um pouco mais no tópico a seguir.

4. Pratique o autoconhecimento para encontrar o amor próprio

Você notou como o amor próprio exige da gente uma boa dose de autoconhecimento? Para que consigamos amar o que fazemos, precisamos antes saber quais são os nossos gostos pessoais. A prática de se conhecer melhor faz com que tenhamos um maior controle sobre nossas emoções, pois reconhecemos nossas qualidades, defeitos e limites. O controle emocional proporcionado pelo autoconhecimento combate a baixo autoestima, ou seja, aumenta o amor próprio.

Sentimentos como inquietude, frustração, instabilidade emocional, irritabilidade, ansiedade e estresse passam a ser controlados com mais precisão. O autoconhecimento é a chave por trás do amor próprio. Seus exercícios proporcionam bem-estar, abrem caminho para resoluções produtivas conscientes acerca dos problemas que você tem para resolver. A prática do autoconhecimento conecta você ao amor próprio.

Confira conosco como essa conexão pode ser estabelecida:

4.1 Observe-se

Olhe para si. Perceba tudo que faz parte do seu ser, dos pequenos aos grandes detalhes. Quais são as suas características? Observe como você reage a diferentes situações, independentemente de elas serem boas ou ruins. Identifique aquelas que deixam você mal, assim como as que proporcionam uma alegria imensa. Esse exercício vai trazer inúmeras respostas sobre você.

4.2 Explore-se

Busque os sentimentos que existem dentro de você: paz, amor e felicidade. Pense em um sentimento que te faz falta ou que você deseja ter. Será que ele está guardado em seu interior? Será que você vai precisar desenvolvê-lo? Essas respostas podem demorar mais. O fato é que você vai encontrá-las. Permaneça atento aos sinais que seu corpo e mente emanam, pois assim ficará mais fácil encontrar as respostas.

4.3 Abra mão das expectativas

Pare de alimentar esperanças sobre fatos que você, definitivamente, não tem controle. O autoconhecimento não pode ser idealizado, ou seja, algo em torno de uma expectativa que você tem. Ele funciona como uma página em branco, desenhando você como realmente é. Dele, surge o processo de autodescobrimento e posterior aceitação.

4.4 Experimente mais

Que tal abrir mão de alguns conceitos e pré-conceitos para experimentar coisas novas? Nenhum ser humano tem todo o repertório do mundo e sabe de tudo. Abra-se para as novidades e sinta como é ter contato com algo novo. Toda experiência nova promove o autoconhecimento, pois você está lidando com algo que não conhece. Observe sua reação, sensação e emoção acerca disso.

4.5 Questione-se

Vá para a frente de um espelho e se encare. Observe como são os detalhes de se rosto, olhos, boca, nariz, cabelos, sobrancelhas e tudo mais que for possível. Questione-se! Quem é você? Em que você acredita? O que é importante para você? Faça perguntas de todos os tipos, das fáceis às difíceis, incluindo as que deixam você desconfortável.

4.6 Reflita

Observe o mundo ao seu redor. Diante de alguma inspiração, pensamento, algo que leu ou ouviu alguém falar, pare para refletir. Veja como aquilo impacta em sua vida, sobre qual seria a sua atitude diante daquilo. Permaneça atento às mensagens que virão do seu interior, assim como as que chegarão por meio de músicas, filmes, livros ou até mesmo de um post em um blog na internet. Algo despertou sua atenção? Mexeu com o seu interior? Reflita!

E daqui para frente?

Cada dia que nasce traz novas oportunidades para que possamos vivenciar. Diante delas, podemos escolher entre experimentar ou deixar que elas passem, refletir a respeito e agregar um novo conhecimento ou ignorá-las. Ter amor próprio significa evoluir espiritualmente, alcançando um nível pleno de conhecimento sobre si. Cercando-se de boas energias e das atitudes corretas, o sucesso do seu negócio transforma-se apenas na próxima estação em que o trem que conduz sua vida vai parar.

Preparado para dar esse passo fundamental para o seu sucesso? Deixe seu comentário sobre amor próprio logo abaixo e nos conte o que você faz para desenvolver o seu.

Shares
Share This