Você ama seu trabalho, mas também ama sua família, ama seus filhos e precisa de uma nova forma de trabalhar para fazer com que tudo se harmonize e tenha o lugar merecido no seu dia a dia?

Quer uma inspiração para encontrar o seu jeito único de fazer isso acontecer? Então conheça a história da Cecília Antipoff, mãe da Melissa, de 2 anos e 8 meses, psicóloga, doutora em Educação, fundadora da A CASA DA ÁRVORE, e criadora do curso Criando Crianças Felizes.

Ela foi minha aluna no Programa Empreenda com Propósito, criou seu estilo de vida e escolheu empreender para ser uma mãe mais presente. Confira a entrevista com ela logo abaixo.

Como você estava antes de escolher empreender?

Minha filha tinha um ano e eu me sentia angustiada com muita frequência. Angustiada com a vida que eu levava, com os horários do meu trabalho – tinha que sair muito cedo ou me ausentar nas noites (momentos tão importantes e de tanta conexão entre a mãe e uma criança pequena).

Saía pra trabalhar com o coração apertado. Trazia muito trabalho pra casa, e às vezes precisava trabalhar no fim de semana. E o que antes me realizava e fazia sentido pra mim já não fazia mais (não da forma como estava sendo feito e não com a carga horária e os horários que eu me via “presa”).

Sentia falta de mais leveza na vida profissional, de mais liberdade, e de um trabalho onde pudesse criar mais, inventar, ter menos normas, um trabalho menos engessado que eu pudesse dizer de mim, do que eu mais amava…

O que aconteceu para que você fizesse a escolha de começar a empreender?

Eu comecei a ver muitas pessoas bacanas nas redes sociais fazendo trabalhos inovadores, trabalhos com sentido, com paixão, e comecei a me inspirar nestas pessoas. Quando me deparei com um primeiro vídeo da Silvia no Facebook, me identifiquei imediatamente com a mensagem. E quando participei da Jornada Gratuita do ECP, fui tocada no coração de tal forma, que senti que era a hora de deixar a minha vida ser mais leve, mais plena, e de dar o meu melhor pra mim mesma, pra minha filha e pro mundo.

Lembro de olhar pra mim e pra minha vida e não gostar do que via. Um dia olhei pra minha filha nos olhos e decidi que ela merecia ter como referência uma mãe com brilho nos olhos, uma mãe feliz, realizada e próspera em todos os sentidos. Fiz um compromisso comigo mesma e com a minha filha.

Foto: acervo pessoal da Cecília

Como você conseguiu tempo para empreender e para estar com a sua filha?

Estar com a Melissa (que hoje tem 2 anos e 8 meses) sempre foi minha prioridade mais que absoluta. Por isso, quando não estava desempenhando o meu trabalho formal (no consultório de psicologia; nas aulas numa Faculdade de BH e na finalização do meu doutorado em Educação), eu estava com ela (brincando, passeando…).

Foto: acervo pessoal da Cecília

Para construir o meu projeto, eu utilizava as noites que não dava aula e os finais de semana. No ano de 2018, trabalhei de domingo a domingo, sem exceção! Normalmente, eu ficava de 20h às 23h30 nos dias de semana e sábado (quando minha filha já estava dormindo) e nos domingos à tarde (meu marido e minha filha iam almoçar na casa dos meus sogros e eu ficava em casa).

Durante a transição de atividades, como foi a sua adaptação? Em algum momento precisou se ausentar mais?

Eu me ausentei muito do meu casamento… Praticamente não saí com o meu marido só nós dois em 2017. Mas tenho a alegria de ter um marido muito companheiro e que me incentivou muito durante este processo (e incentiva até hoje).

Foto: Com o marido e a filha (acervo pessoal)

Você contou com algum apoio? Quais?

Contei com muito apoio familiar! Do meu marido, da minha sogra e da minha mãe, que muitas vezes ficavam com a Mel pra eu poder fazer as tarefas que eu me propunha.

Quais foram os principais obstáculos para você?

Meu maior obstáculo para empreender no mundo digital foram as ferramentas digitais! Quase pensei em desistir por não saber mexer com elas. Mas aprendi a pedir ajuda, a trabalhar junto com outras pessoas, a delegar e me concentrar naquilo que amo de verdade e que me faz ter vontade de acordar de manhã.

O fato de ter se tornado mãe te ajudou profissionalmente? Mudou sua relação com o trabalho e/ou com sua profissão?

A maternidade me transformou COMPLETAMENTE. Mudou as minhas prioridades, me virou do avesso (e eu resolvi experimentar “esse estar do avesso”). A maternidade despertou dentro de mim uma vontade ENORME de me transformar a cada dia e me tornar uma pessoa cada dia mais consciente e melhor pra mim mesma, pra minha filha e pro mundo.

Vivi (e vivo) muitos desafios como mãe, e isso também me impulsionou a compartilhar com outras mães as minhas vivências e experiências.

De que forma você trabalha hoje? Qual a sua proposta e como a propaga?

Continuo dando aula numa faculdade de BH (mas com uma carga horária totalmente leve e possível de conciliar com outros projetos), atendo no meu consultório de Psicologia e tenho a A CASA DA ÁRVORE.

A Casa da Árvore é uma empresa digital (com fanpage, instagram e blog) que tem o propósito de ser uma ponte entre o universo infantil e o mundo adulto. Isso porque acredito que todas as crianças podem viver uma infância leve e feliz, sendo compreendidas e cuidadas de acordo com suas reais necessidades.

Na página da A CASA DA ÁRVORE, posto textos semanais da Manu (uma personagem de 5 anos que traz mensagens sobre a infância e o desenvolvimento infantil na perspectiva da criança); posto vídeos e lives onde me apresento e trago algum conteúdo que possa ajudar as mães e adultos a entenderem melhor seus filhos e filhas e, consequentemente, vivenciarem a maternidade e a paternidade com mais leveza e mais prazer.

Também criei o curso CRIANDO CRIANÇAS FELIZES, voltado para mães.

Tenho horários de trabalho muito mais flexíveis, com possibilidade de trabalhar de casa, de organizar os meus horários de acordo com as minhas necessidades e vontades! E isso não tem preço!

Foto: Cecília trabalhando no curso digital que ela criou (acervo pessoal)

Vale a pena empreender com propósito?

Na verdade, eu só acredito que empreender valha a pena se for com propósito. Se for sendo quem eu sou. Se for falando a minha verdade, se for fazendo o que faz sentido pra mim e o que eu gosto de fazer.

Qual foi o maior impacto que o Programa Empreenda com Propósito teve em sua vida?

O maior impacto foi despertar em mim a CORAGEM DE COLOCAR O MEU BRILHO NO MUNDO. De me impulsionar a sair da minha zona de conforto e fazer aquilo que meu coração sente que é o que tem que ser feito para as crianças do mundo.

Além, é claro, de ter conhecido pessoas INCRÍVEIS, que se tornaram amigas pra vida! Principalmente a Silvia, uma querida, que levo dentro do meu coração e que sempre quero ter por perto da minha vida e da minha família.

Essa é a experiência de vida da Cecília. No vídeo abaixo, ela conta mais um pouco sobre seu processo de desenvolvimento como empreendedora através do Programa Empreenda com Propósito. Se você deseja começar por algum ponto, inscreva-se para a Jornada Gratuita Empreenda com Propósito e comece hoje a mudar sua vida.

Shares
Share This